Pacote de recuperação da South African Airways custará pelo menos US$ 580 milhões

South African Airways
Foto: South African Airways

A South African Airways (SAA), está buscando outro resgate do governo para sobreviver. Desta vez, custará ao governo pelo menos US$ 580 milhões em fundos, de acordo com o plano de negócios proposto revelado ontem (16).

Com o resgate do governo, os administradores esperam que a SAA possa superar seus anos de perda, bem como a situação do COVID-19.

Conforme relatado na Reuters, o plano proposto também foi baseado no fato de que o SAA poderia sustentar quase todas as suas redes de rotas africanas. Para rotas domésticas, três em cada quatro permanecerão junto com uma metade dos destinos intercontinentais estimados.

Especificamente, mais de US$ 162 milhões serão usados ​​como injeção de capital de giro. Pelo menos US$ 127 milhões são reservados para demissões, enquanto mais de US$ 173 milhões serão dedicados a passagens não utilizadas. Os arrendadores receberão mais de US$ 98 milhões, e os restantes quase US$ 35 milhões serão destinados aos credores.

Além disso, o valor proposto de US$ 580 milhões não inclui os fundos provisórios do governo de US$ 950 milhões. Esse valor é referente aos custos da dívida e do serviço da dívida da SAA. Além disso, o valor restante será um meio de suporte ao SAA enquanto ela estiver em processo de reestruturação.

Segundo a Reuters, o Ministério da Empresa Pública avaliará primeiro o plano. O Ministério quer ver a SAA como uma “companhia aérea nacional competitiva, viável e sustentável ” antes de prosseguir com o plano de negócios.

O governo sul-africano recebeu menos de um mês para mostrar seu apoio ao plano de recuperação e o compromisso de financiar os US$ 580 milhões. A resposta deve ser entregue em 15 de julho.


 

DEIXE UMA RESPOSTA