A lógica da Boeing em criar o 737 MAX 10 era bem clara, oferecer um custo ainda mais baixo por passageiro transportado, em comparação com o MAX 9 e o MAX 8, isso fez várias companhias optarem pelo MAX 10, trocando até mesmo as suas encomendas para a versão padrão, o 737 MAX 8.

Uma dessas companhias que realizou a alteração do seu pedido foi a GOL Linhas Aéreas, que vai incorporar futuramente 30 aeronaves desse modelo em sua frota. 

Em uma coletiva realizada para jornalistas durante a apresentação do Boeing 737 MAX 8, Paulo Kakinoff, presidente da GOL, disse que, “O Boeing 737 MAX 10 é a aposta da GOL na retomada de crescimento da aviação no Brasil, a função dele será a conexão dos hubs da GOL nos melhores horários com maior demanda”.

Isso também prova que a GOL espera, com uma frota padronizada, aumentar a sua oferta em aeroportos com slots disputados no horário de pico, como Guarulhos e Brasília, sem precisar incorporar voos extras.

Espera-se que o Boeing 737 MAX 10 da GOL seja configurado com algo entre 215 a 225 assentos, sendo que a capacidade máxima da aeronave é para 230 passageiros.

Kakinoff ainda concluiu, “Esse avião faz sentido pela própria massa crítica que a própria GOL gerou, transportando 33 milhões de passageiros ao ano. Já está na hora da GOL ter um avião maior”.

Apesar disso ele descartou incorporar na frota da companhia qualquer avião que não seja o Boeing 737 MAX, como forma de manter a padronização de frota.

 

O 737 MAX 10

Lançado oficialmente em 2017 como forma de concorrer melhor com o Airbus A321neo, o novo 737 MAX 10 incorpora uma série de alterações em comparação com o MAX 9.

A Boeing acrescentará mais uma seção e meia na fuselagem do 737 MAX 9, aumentando o tamanho do avião em 1,68 metros, dessa forma a capacidade da aeronave saltará de 220 passageiros para 230.

Uma leve alteração no trem de pouso será realizada, para evitar o tail strike nos procedimentos de decolagem e pouso. A altura será ampliada através de uma alteração no amortecedor da aeronave, permitindo manter o mesmo compartimento do trem de pouso das outras versões.

O motor será o mesmo que equipa o 737 MAX 9. Dois CFM Leap-1B, com 28 mil lbs de empuxo (cada), serão responsáveis pela propulsão do jato.