Nos últimos dias o projeto do Airbus A380 viveu um período “turbulento”, com a ameaça do cancelamento de parte das encomendas da Emirates, um real cancelamento de 8 encomenda da Qantas, e críticas do CEO do Grupo IAG sobre o preço da aeronave. Neste contexto o CEO da Qatar Airways, Akbar Al Baker, aproveitou para falar um pouco mais sobre a aeronave.

Em uma entrevista para o site Airlineratings.com, Al Baker demonstrou suas opiniões sobre o A380.

“Como uma aeronave, ela é muito adequada para rotas que exigem alta capacidade. Nós o implantamos com sucesso em mercados onde vemos esse grande volume de passageiros e operamos em aeroportos com restrição de slots”, disse Al Baker.

“Não usamos essa aeronave para despejar capacidade, como algumas pessoas fazem [aqui claramente falando da Emirates]. Nós só iremos implantar uma aeronave em uma rota feita sob medida para a capacidade necessária que o destino pode suportar.”

“O A380 foi um divisor de águas, mas talvez tenha chegado na hora errada, com os preços dos combustíveis disparando após a sua introdução. Como aeronave, é muito adequado para rotas que exigem alta capacidade.”

“Para mim, esta aeronave é muito pesada, tem alto consumo de combustível e isso porque a estrutura da aeronave foi construída para um trecho. Acho que a Airbus cometeu o mesmo erro que com o A330 e o A340, que tinham uma asa comum.”

“Tudo o que um Airbus A300-600 poderia fazer em nossos primeiros dias, o A321LR funcionará. Isso nos dará também muita flexibilidade para trocar de aeronave de acordo com a demanda sazonal”, disse Al Baker sobre a decisão da companhia de operar com o A321LR, buscando uma maior economia nos bimotores.

De acordo com Al Baker ”Ele disse que não ficaria triste se o programa fosse encerrado”, mas “cabe à Airbus decidir se vai continuar construindo ou parar a produção”.

Atualmente a Qatar Airways opera dez aviões do modelo A380 de Doha para destinos como Paris (CDG), Frankfurt e Londres-Heathrow. A companhia não quer expandir a sua frota de aviões com dois andares, mas nem fala quando aposentará os A380.

Em compensação, a Qatar está buscando uma maior eficiência nos aviões de nova geração, com dois motores, a companhia se destacou por ser cliente de lançamento do Airbus A350 nas suas duas variantes, A350-900 e A350-1000, enquanto isso também trabalha para receber o primeiro Boeing 777X em 2020, uma aeronave que promete ser 15% mais eficiente que o atual 777.