Foto - Boeing/Reprodução

A Boeing divulgou hoje (09/07) os resultados de entregas da empresa no 2º semestre de 2019, incluindo as áreas de Defesa, Aeroespacial e Comercial.

Nos resultados podemos ver uma grande queda das entregas de aeronaves do modelo 737, foram ao todo 24 aviões entregues em 3 meses, e todos da família 737 NG, a geração anterior.

A paralisação das entregas do 737 MAX, que está ocorrendo desde março deste ano, quando a aeronave foi impedida de realizar voos comerciais, já afeta os resultados da Boeing no ano, e as estimativas de entregas da empresa.

No acumulado do ano a Boeing registra 239 entregas, enquanto a Airbus registrou algo próximo de 390. A meta da Boeing é entregar cerca de 915 aviões em 2019, enquanto a meta da Airbus é entregar 880 aviões no mesmo período.

Bem possível que a Boeing não consiga cumprir a meta de entregas, caso a paralisação dos voos com o 737 MAX continue até outubro, ou depois.

Em destaque temos uma aceleração na produção de aeronaves 787 Dreamliner, com uma média de 14 aviões por mês, de acordo com o planejamento da Boeing, enquanto o Boeing 767 e o 777 continuam com igual força, apesar da idade de projeto do primeiro.

 

Principais Divisões


2º trimestre de 
2019

 

No acumulado do ano de 
2019

    

Divisão de aviões comerciais

   
 

737

24

  

113

 
 

747

2

  

4

 
 

767

10

  

22

 
 

777

12

  

22

(1)

 

787

42

  

78

 

Total

90

  

239

 
     

Divisões de defesa, espaço e segurança

   
 

Apache AH-64 (Novo)

4

  

10

 
 

Apache AH-64 (remanufaturado)

13

  

35

 
 

CH-47 Chinook (Novo)

  

7

 
 

CH-47 Chinook (Renovado)

5

  

9

 
 

Modelos F-15

1

  

5

 
 

Modelos F / A-18

3

  

10

 
 

KC-46 Tanker

5

  

12

 
 

Modelos P-8

5

  

8

 
 

Satélites comerciais e civis

1

  

1

 
 

Satélites Militares

  

 

DEIXE UMA RESPOSTA