Foto - Aeroporto de Viracopos/Divulgação

Os 20 principais aeroportos brasileiros, responsáveis por 87% da movimentação de passageiros no país, receberam a aprovação dos usuários que utilizaram seus serviços durante o segundo trimestre deste ano.

Dados da “Pesquisa de Satisfação do Passageiro e de Desempenho Aeroportuário”, realizada pelo Ministério da Infraestrutura, por meio da Secretaria Nacional de Aviação Civil, indicam que, pela primeira vez, desde o início da série histórica, em 2013, todos os aeroportos pesquisados registraram notas médias acima de 4 (bom), superando a meta estipulada pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero).

Em uma escala de 1 a 5, onde 1 significa “muito ruim” e 5 “muito bom”, a média do indicador de satisfação geral do passageiro ficou em 4,39.

Foram ouvidos 24.320 usuários entre abril e junho. A pesquisa avalia a experiência do passageiro em diversos itens de infraestrutura, atendimento e serviços, bem como monitora o desempenho de diferentes processos aeroportuários como check-in, inspeção de segurança, restituição de bagagens, totalizando 38 indicadores. Do total de indicadores, 82% (31) obtiveram, de forma geral, média superior a 4 (bom).

Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o resultado revela o momento positivo da aviação civil no país. “Os investimentos públicos e privados que estamos conseguindo promover em todas as regiões do Brasil, estão contribuindo para preparar a nossa infraestrutura aeroportuária para um novo momento da aviação nacional”, avalia o ministro. “Com a abertura do mercado ao capital estrangeiro, o país vai passar por uma transformação nos próximos anos, com a chegada de novas companhias e a ampliação do número de passageiros”, afirma Freitas.

 

EVOLUÇÃO

De acordo com a Pesquisa de Satisfação do Passageiro, a maior nota foi obtida por Curitiba (4,72), seguida por Vitória (4,66), Campinas (4,64), Confins (4,60), Maceió (4,57), Goiânia (4,48), Brasília (4,46), Manaus (4,45), Santos Dumont (4,43) e Galeão (4,38), fechando os dez primeiros. O percentual de satisfação dos passageiros vem aumentando desde 2013, quando teve início a série histórica. No primeiro trimestre daquele ano, 69% dos viajantes avaliavam os aeroportos como bons ou muito bons. Hoje, 90% dos usuários estão satisfeitos ou muito satisfeitos. 


O secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, comemora a evolução dos números, mas alerta que há margem para a melhoria dos serviços em todos os aeroportos brasileiros. “A pesquisa serve como um referencial para a administração dos aeroportos. Seus resultados incentivam a competitividade entre eles, ao elevar os parâmetros de qualidade do atendimento aos passageiros e tornar mais transparente o que precisa ser melhorado na prestação dos serviços”, afirma o secretário.

Os itens com as piores avaliações na pesquisa são custo-benefício dos produtos de lanchonete/restaurantes (nota 2,95), custo-benefício do estacionamento (3,16), custo-benefício dos produtos comerciais (3,18), qualidade da internet/wi-fi (3,65), disponibilidade e localização de bancos/caixas eletrônicos/casas de câmbio (3,68), quantidade e qualidade de lanchonetes e restaurantes (3,86).

 

Veja o ranking geral abaixo:

 

Infográfico (via Ministério da Infraestrutura):

 

Via – Ministério da Infraestrutura