Canadá Covid-19
Foto: Eddie Maloney via Flickr

Autoridades no Canadá acreditam que cerca de 30 pessoas podem ter conseguido entrar no país apresentando o resultado de exame de Covid-19 falso. O teste com resultado negativo é um dos requisitos que o país exige para todos os passageiros que desejam entrar no Canadá seja por viagens aéreas ou terrestres.

Segundo apurações, desde o dia 7 de janeiro desse ano, 10 pessoas foram apreendidas por estarem portando documentos falsos tentando entrar no país. Desde então mais 20 pessoas tentaram entrar no Canadá portando testes com resultados falsos contra a Covid-19. 

As informações são divulgadas pela Agência de Serviços de Fronteiras do Canadá (CBSA), que afirmou ainda que mais de 95% de todas os viajantes seja pelo transporte aéreo ou por transporte terrestre estão com a documentação legal, entretanto pode ocorrer de outras conseguirem fugir do controle de imigração ou apresentar documentação ilegal.

O CBSA está ciente de que resultados fraudulentos do teste COVID-19 estão sendo produzidos e que alguns viajantes podem tentar usar essa documentação fraudulenta ao buscarem entrada no Canadá. A CBSA está trabalhando em estreita colaboração com parceiros nacionais e internacionais para detectar e interceptar tais documentos o mais cedo possível nos viajantes ilegais.” Disse em comunicado.

“A CBSA também está trabalhando em estreita colaboração com a Transport Canadá (TC), cujo relacionamento com as transportadoras aéreas é fundamental para identificar documentos suspeitos antes que os viajantes aterrissem em solo canadense por meio de transporte aéreo.” Completou.

Recentemente a Transport Canadá aplicou duas multas a dois passageiros que tentaram entrar no país com resultados falsos de Covid-19. Os passageiros foram presos, estavam vindo de Cancún no México e tentaram entrar por Montreal. Os passageiros receberam multas de CA $ 10.000 e CA $ 7.000 respectivamente no mês passado.

Segundo a Lei implementada neste período de pandemia, qualquer pessoa presa sob o porte de documentação falsa e/ou com testes falsos poderão ser multados em até CA $ 750.000 além de serem presos por até 6 meses. Caso o viajante contenha o vírus e transmita, a multa sobe para CA $ 1 milhão e o tempo de prisão para 3 anos.

Visando uma possível fraude com a vacinação, a IATA está lançando um aplicativo que contém todas as informações sobre o passageiro e as doses da vacina aplicadas. A medida visa dificultar a falsificação, já que é necessário inserir as informações no sistema de controle do aplicativo.