Peru quer lançar primeira companhia aérea estatal com o conceito low cost do mundo

Foto: Getty Images

O governo do Peru anunciou suas intenções de criar uma nova companhia aérea de baixo custo com o controle estatal. Esse será um fato histórico na aviação, nunca houve uma companhia aérea de baixo custo que tivesse o controle ou a criação do governo local.

A nova companhia já possui dois possíveis nomes: Línea Aérea de Bandeira del Peru ou LAPERU. No projeto da criação da empresa, está o controle de 35% do governo peruano e o restante divididos entre investidores privados.

Para iniciar a companhia, o governo irá investir cerca de US$ 75 milhões e tentar captar investidores para injetar capital na nova empresa. Atualmente no Peru, possui operações das companhias: Viva Air Peru, Sky Airline, LATAM Peru e Avianca Peru. Recentemente a JetSmart estudava a possibilidade de criar uma subsidiaria peruana.

Mesmo com uma boa variedade de companhias aéreas, nenhuma delas possui uma sede no Peru. As últimas companhias peruanas LC Peru e Peruvian foram perdendo espaço com a chegada das companhias aéreas de outros países, consequentemente deixaram de operar em 2018 e 2019 respectivamente. 

“Nas últimas duas décadas, as companhias aéreas que utilizaram as rotas aéreas internacionais do Peru, com faturamento e vendas de bilhões de dólares, não investiram no Peru (…). Eles trabalharam como filiais de companhias aéreas com origens em outros países, para onde enviaram todas as suas receitas financeiras.” Em nota enviada pelo governo do Peru.

Um dos motivos de criar a nova companhia, é para impulsionar o turismo por todo o país e facilitar o deslocamento dos cidadãos pelo país. O conceito low cost virá para se tornar um serviço de transporte essencial, que também irá buscar ter acordos de code-share com outras companhias para impulsionar a malha aérea.

“A transportadora estatal do Peru pode oferecer um serviço que satisfaça a necessidade de milhões de pessoas de se deslocarem de um lugar para outro com as melhores tarifas de baixo custo, sem ter que pagar por serviços auxiliares que não têm valor para eles”, disse o Governo.


Mesmo com otimismo para iniciar o projeto, ainda não há nenhuma informação oficial sobre as possíveis rotas e nem quais tipos de aeronaves serão utilizadas. Estima-se que a nova companhia siga as tendências das companhias de baixo custo e opere Boeing 737 ou Airbus A320.

Espera-se que a sede da nova empresa seja o Aeroporto Internacional de Lima, e tendo foco em outras cidades como Cuzco e Trujillo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA