Bulgária F-16 piloto
O Capitão Aleksandar Velinov tornou-se o primeiro aviador búlgaro a concluir o curso de F-16 nos EUA. Foto: USAF.

O Capitão Aleksandar Velinov tornou-se o primeiro piloto da Força Aérea da Bulgária a concluir o curso de treinamento no caça F-16 nos Estados Unidos. O marco foi celebrado ontem (08) em uma cerimônia na 162ª Ala da Base da Guarda Aérea Nacional de Morris, no Arizona. 

Embora a observância fosse despretensiosa e informal, as implicações são enormes, observa a Força Aérea dos EUA. A Bulgária contratou, no início de 2020, a compra da aeronave F-16 Block 70 com entrega antecipada a partir de 2023.

Foto: USAF.

O capitão Velinov foi selecionado como um dos quatro pilotos a realizar um curso avançado de língua inglesa antes de passar pelo treinamento completo da Força Aérea dos EUA para operar os novos F-16. Na sexta-feira o aviador atingiu o ápice deste treinamento. 

“Estamos orgulhosos do capitão Velinov e de toda a Força Aérea da Bulgária”, disse o General-Brigadeiro Jeffrey Butler, Comandante da Ala. “O treinamento deles aqui no Arizona fortalece tanto a União Europeia quanto a aliança da OTAN”, disse ele.

Em julho de 2019 o Departamento de Estado dos EUA aprovou a venda de oito caças F-16C/D da variante mais avançada, Block 70, para a Bulgária, com o contrato sendo assinado no ano seguinte. Na última segunda-feira o mesmo órgão aprovou a venda de mais oito caças ao país

F-16 Block 70 Lockheed Bulgária.
Projeção artística do F-16 Block 70. Imagem: Lockheed Martin

As novas aeronaves vão substituir os veteranos MiG-29 Fulcrum, obtidos durante a Guerra Fria. 

“Quando eu voltar para a Bulgária o F-16 será uma aeronave novinha para o país, então cabe aos primeiros pilotos e mantenedores, que passam por treinamento nos EUA, construir a base e estabelecer um alto padrão de trabalho”, disse o Capitão Velinov.

“Com a Bulgária planejando fazer a transição para o F-16 o mais rápido possível, meu treinamento em Tucson é vital”, concluiu.

MiG-29 Bulgária
MiG-29 Fulcrum da Força Aérea Búlgara.

“Fazemos parcerias aqui em Tucson que têm impacto global. Porque podemos apoiar e desenvolver parceiros internacionais como a Bulgária, nossa própria pátria é mais segura”, sublinhou o General Butler.