Pilotos da British Airways votam o acordo sobre garantia de empregos e pagamentos

Boeing 747
Foto - Nick Morrish/British Airways

Os pilotos da British Airways devem votar um acordo firmado entre o sindicato da Balpa e a gerência da companhia aérea que envolveria pelo menos 270 cortes de empregos e o restante com cortes salariais em até 20%.

A Balpa disse que era “extremamente decepcionante” que a BA não aceitasse suas propostas que evitariam redundâncias obrigatórias, mas recomendou aos pilotos que apoiassem o acordo da melhor maneira possível.

A companhia aérea tentou demitir até 12.000 funcionários, incluindo 1.255 pilotos, quando a pandemia de coronavírus interrompeu os vôos internacionais.

O sindicato disse que o acordo após três meses de negociações evitou as propostas de “corte e recontratação” que afetam a tripulação de cabine e a equipe de solo que foram amplamente condenados pelos deputados de todas as partes.

Os pilotos devem votar na próxima quinta-feira em um pacote que inclua acordos de redundância voluntária e trabalho em meio período e um “estoque” de pilotos com remuneração reduzida que serão reempregados pela BA se e quando a demanda aumentar. 

Os salários dos pilotos serão financiados de acordo cortes na remuneração de outros funcionários. Os pilotos teriam uma redução inicial de 20%, reduzindo para 8% abaixo dos níveis atuais em dois anos.

Brian Strutton, secretário geral da Balpa, afirmou que “É extremamente decepcionante que, durante nossas extensas negociações, a British Airways não aceita o pacote completo de mudanças que propusemos, o que teria evitado a perda de empregos e sem nenhum custo para a BA.”

“Como resultado, haverá alguns despedimentos obrigatórios entre a comunidade piloto e isso é motivo de grande pesar. Dada a intransigência da BA, reunimos o melhor pacote possível para salvar o maior número possível de empregos. ” Completou.

 

Posição da IAG Group

O proprietário da British Airways a IAG Group, recebeu as notícias sobre a votação.

 “Sabemos que este foi um período incrivelmente difícil para a nossa comunidade de pilotos, e gostaríamos de agradecer aos representantes da Balpa por seu trabalho duro e esforço incansável para se engajar e encontrar soluções para salvar o maior número possível de empregos de piloto”.

Na semana passada, a BA começou a servir a tripulação de cabine de longa data com avisos de “incêndio ou recontratação”. Convidando-os a se candidatarem a empregos a taxas muito mais baixas ou aceitar a demissão voluntária.

O Partido Trabalhista incentivou o primeiro-ministro a intervir no que chamou de planos “totalmente inaceitáveis” da BA, mesmo diante da pandemia.

O chefe da IAG, Willie Walsh disse que o coronavírus significava que a BA, que aterrou a maior parte de sua frota por quatro meses. Possui um futuro muito diferente e “quanto mais cedo abraçarmos essa realidade, melhor para todos”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA