Conhecida pela sua proposta de realizar voos transatlânticos usando aviões narrowbody, como o Airbus A321neo LR, a Primera Air encaminha para uma rápida falência, após não conseguir um financiamento para manter as suas operações.

O estimado é um corte das operações a partir da meia-noite de 02 de outubro, válido para a Primera Air Scandinavia e a Primera Air Nordic.

Enquanto a companhia acusa eventos imprevistos nesses dois anos como a causa da sua falência, a companhia trabalha para manter contato com os passageiros, informando o ocorrido, e também com as agências de turismo.

De acordo com os diretores da Primera Air, algumas aeronaves atrasaram para chegar na frota, como resultado a companhia precisou cancelar voos, perdeu receita e ainda teve que arcar com custos extras, como nas obrigações com passageiros, onde desembolsou mais de 20 milhões de euros, e na manutenção de uma aeronave com corrosão severa, onde gastou mais 10 milhões de euros.

Além disso a alta nos combustíveis não combinou com as baixas tarifas que a companhia prometeu para os voos de longa distância.

Sem o financiamento e com esses gastos imprevistos, a companhia não tem caixa para continuar suas operações e declarou falência.

DEIXE UMA RESPOSTA