Aeroporto de São Borja
Foto: Prefeitura de São Borja

Desde a retomada dos voos comerciais em São Borja, em 2019, após 50 anos inativos, a gestão municipal vem empenhando-se para que a manutenção do serviço de aviação seja mantido em pleno funcionamento no município.

Após o período de interrupção devido a Pandemia, os voos comerciais no Aeroporto João Manoel estão sendo realizados pela Azul Linhas Aéreas, mantendo-se como um dos destinos com mais lotação e adesão positiva no interior do Estado.

O Secretário de Planejamento, João Pedro Daitx, destaca que o Poder Público se mantêm sempre disposto para de forma responsável, adequar-se as exigências da empresa, priorizando a segurança dos passageiros e da aeronave. “Desde 2021, quando realizamos a primeira licitação que acabou dando deserta devido ao aumento dos valores dos materiais e insumos utilizados para a obra, seguimos em tratativas junto aos órgãos responsáveis para que o processo avançasse. Por meio do projeto técnico realizado pela Infraero conseguimos atualizar a documentação e os valores financeiros envolvidos, possibilitando que uma nova licitação fosse autorizada. Sabemos que se trata de uma pista antiga e que naturalmente necessita de reparos e manutenção constantes”, afirma.

O Prefeito Eduardo Bonotto reafirma o compromisso da administração municipal em manter o aeroporto em funcionamento, “além de facilitar o deslocamento e novas oportunidade para a comunidade, sabemos que o aeroporto em funcionamento significa um avanço importante ao desenvolvimento econômico do município”, salienta. Bonotto afirma ainda, que em relação a suspensão dos voos, já se vem mantendo-se dialogo diretamente com a empresa para que alternativas imediatas possam ser encontradas.

“No último dia 28 recebemos de forma oficial a autorização para a nova licitação que prevê mais de 7 milhões de reais em investimentos em obras no Aeroporto João Manoel, incluindo a restauração completa da pista. Os recursos já estão garantidos. E os processos burocráticos em andamento. Infelizmente, coincidentemente veio a suspensão imediata por parte da empresa. Sabemos das necessidades de reparos devido ao tempo já existente da pista. No entanto, enquanto gestão pública entendemos a responsabilidade em contrapor entre investir altos valores em um reparo emergencial que não será necessariamente suficiente para a solução do problema e, avaliar e agilizar os processos licitatórios para que a nova pista seja realidade com os recursos já garantidos. Isso, é fazer gestão, preocupar-se não só em investir, mas em investir com qualidade, planejamento e responsabilidade com os cofres públicos”, destaca o Chefe do Executivo.

A Prefeitura Municipal vem mantendo contato com a empresa responsável para verificar alternativas momentâneas, uma vez que o prazo para licitação é de até 90 dias.

Via: Prefeitura de São Borja