Presidente da El Al Israel Airlines renuncia ao cargo

Foto: Jacob Aviation

No último domingo(16/08) o presidente da companhia aérea de bandeira israelense, Eli Defes anunciou seu desligamento da empresa. O agora ex-presente da El Al Israel Airlines ocupava o cargo desde 2017 e anunciou seu desligamento imediato da empresa.

A razão segundo o executivo é um problema de saúde no qual ele não revelou detalhes e nem a gravidade da doença. Em sua carta de demissão para a El Al, o executivo reforça a confiança nos executivos da empresa e demonstra otimismo com a empresa nesse tempo de crise que a aviação passa.

“Tenho total confiança na administração da empresa e nos membros do conselho que saberão como conduzir a El Al para além desta crise, para um futuro mais estável e seguro”, disse Defes.

Tendo trabalhado para El Al desde 2015, presidia a empresa desde 2017 com experiencias em outras quatro grandes empresas fora da aviação. A demissão do presidente ocorre em tempos muito delicados e difíceis para a companhia aérea de Israel.

Em uma entrevista recente, o ex-presidente disse que sem qualquer receita e com o caixa sendo utilizado diariamente a El Al estava a beira de falir. Desde o inicio da crise global de saúde que atinge grandemente a aviação a empresa buscava ajuda do Governo para garantir sobrevivência. 

“Uma empresa com despesas e nenhuma receita vai sair do caixa e vai à falência e liquidação. Cortamos despesas, colocamos 5.500 pessoas em licença sem vencimento, estamos atrasando os pagamentos à Autoridade Aeroportuária de Israel, mas atingiremos o limite em algum momento ”, disse Defes.

A empresa operou alguns voos charters afim de buscar um pouco de alivio financeiro além de voos cargueiros. Entretanto, a companhia não opera voos regulares desde março.


 

O futuro da El Al em jogo

O acordo do governo com a sua empresa aérea de bandeira só foi selado em Julho em um aporte de US$ 400 milhões. Nesses valores a divisão estará em US$ 250 milhões em garantias de empréstimo e os outros US$ 150 milhões restantes em venda de ações.

O Governo prometeu arcar com o deficit, as vendas de ações porém tem prazo até o final do mês de agosto. Tendo um possível investidor, as tratativas tem sido cautelosas, Eli Rozenberg é um cidadão americano que mora em Israel e estaria negociando a compra de 45% da empresa por US$ 75 milhões mais o controle da companhia.

Foto: El Al Israel Airlines

No fim de semana, outro potencial investidor se apresentou. Meir Gurvitz, um empresário imobiliário sediado nos EUA, pediu uma licença que lhe permite comprar entre 25% e 40% das ações da El Al. Um jornal israelense relata que ao contrário de Rozenberg, Gurvitz não busca o controle da companhia aérea.

O banco de investimento americano Jefferies está comercializando a venda de US$ 150 milhões de ações nos Estados Unidos. Embora compradores em potencial como Messers Rozenberg e Gurvitz estejam circulando, essas transações permanecem não finalizadas.

O governo israelense entretanto comprará as ações não vendidas assim que o prazo de agosto expirar, fazendo com que sua sua participação na El Al suba para 61%.

 

DEIXE UMA RESPOSTA