(Reuters) – O ministro do Turismo da Argentina comprometeu-se a rever a “taxa de turismo” de 30% aplicada quando viajantes do país pagam por bens e serviços no exterior em dólares, disse o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, ao site local Infobae.

A nova lei, que tem atingido destinos tradicionais de férias de argentinos como o vizinho Uruguai, é aplicada em todas as despesas usando cartão de crédito fora do país.

Vázquez disse em uma entrevista publicada pelo Infobae na noite de sábado que representantes da Câmera de Turismo do Uruguai foram à Argentina conversar com representantes do governo do presidente Alberto Fernández.

“Conseguiram o que esperavam conseguir: o compromisso de alguma potencial flexibilidade no timing da medida… e um compromisso do ministro do Turismo (Matías Lammens) para rever a situação em 180 dias. Vamos ver o que acontece”, disse Vázquez ao Infobae.

Um porta-voz do Ministério do Turismo da Argentina recusou-se a comentar.
 

A Argentina enfrenta uma prolongada recessão e inflação anual acima de 50%.

A cobrança no cartão de crédito busca valorizar o peso e foi introduzida pelo novo governo de Fernández como parte de uma lei “de emergência econômica” aprovada pelo Congresso em dezembro.

O governo tem que pagar por volta de 100 bilhões de dólares em dívidas este ano e negocia uma reestruturação com credores.


 

DEIXE UMA RESPOSTA