Primeiro piloto da USAF atinge 1.000 horas de voo no F-35A

piloto do 388º Fighter Wing, tenente-coronel Jared Santos- Foto: USAF

No dia 22 de outubro, os pilotos do 388º Fighter Wing voaram em uma missão de interceptação tática quatro contra seis sobre o Utah Test and Training Range no F-35A Lightning II, usando sensores e discrição para enfrentar o inimigo . A surtida durou cerca de duas horas.

Teria sido como qualquer uma das milhares de outras surtidas de treinamento realizadas por pilotos aqui, exceto que foi um marco importante para um dos pilotos e para a comunidade de F-35 da Força Aérea como um todo.

Durante o voo, o Tenente-Coronel Jared “Vic” Santos, tornou-se o primeiro piloto de F-35 da Força Aérea a atingir 1.000 horas de voo.

Caças F-35A Lightning II- Foto: USAF

“Esta é uma conquista para Vic, para nós como uma ala e para a Força Aérea”, disse o coronel Steven Behmer, 388º comandante da ala de caça. “Há relativamente pouco tempo, a Força Aérea estava implementando este programa. Agora temos nosso primeiro piloto de 1.000 horas. Pilotos como o Vic podem passar essa experiência para pilotos mais jovens na comunidade do F-35. Eles realmente vão tirar o melhor proveito deste jato, que já é muito capaz, e continua a melhorar. ”

Santos, um ex-piloto de F-15 e F-18, começou a voar com o F-35 na Base Aérea de Eglin, e foi designado para o 388º Ala de Caça por dois anos. Ele atualmente atua como gerente de projetos especiais da ala, supervisionando a resposta e o planejamento do COVID-19, bem como os esforços de reorganização.

O piloto sabia que queria servir no exército como seu pai, tio e avô, que serviu no Exército, Marinha e Corpo de Fuzileiros Navais. Eles, no entanto, o convenceram a ingressar na Força Aérea.

“Meu pai me deixou usar parte do dinheiro que ele economizou para a faculdade para obter minha licença de piloto particular durante meu último ano do ensino médio”, disse Santos. “Depois de alguns voos em um Cessna 172, peguei o inseto voador e fui fisgado.”


F-35A Lightning II- Foto: USAF

Santos se formou na Academia da Força Aérea em 2000. Teve duas atribuições no F-15 C e acumulou mais de 1.200 horas. Ele então voou quase 800 horas no F / A-18 durante um programa de intercâmbio com o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, antes de fazer a transição para o F-35A.

“Eu voei pela primeira vez com o F-35 em Eglin. Naquela época, tínhamos o software do bloco 1B. Estávamos limitados a 0,9 mach, ângulo de ataque de 18 graus, 5 Gs. Não tínhamos link de dados multifuncional ou Link 16 ”, disse Santos.

 

Fonte: USAF

 

DEIXE UMA RESPOSTA