A Airbus suspendeu seus planos de construir uma nova linha de montagem A321 em Toulouse, que aproveitaria o espaço da linha de montagem do Airbus A380, que estaria disponível no final deste ano.

A redução segue um plano da Airbus de reduzir a produção de aviões neste ano, pela baixa demanda que há durante a crise, e até mesmo depois dela.

De acordo com a Airbus, as novas taxas médias de produção daqui para frente foram definidas da seguinte forma:

  • Produção de 40 aviões da família A320 por mês (Ante 62 aviões por mês)
  • Produção de 2 aviões da família A330 por mês (Ante 6 aviões por mês)
  • Produção de 6 aviões da família A350 por mês (Ante 10 aviões por mês)

Sem um aumento da demanda, a Airbus não precisará tão cedo da nova linha de montagem para o A321neo, o avião que se tornou destaque após a empresa criar versões de longo alcance, como o A321XLR e A321LR.

Claramente, se a Airbus espera que a demanda por novas aeronaves não seja tão grande nos próximos meses, ela não precisará fabricar tantas. É por isso que reduziu sua taxa de produção estimada de produção de aeronaves da família A320 para 40 por mês, a empresa pode produzir confortavelmente esse número de aeronaves com suas instalações atuais.

“Nossos planos para uma linha A321 em Toulouse estão em pausa, em espera. Quando virmos as taxas subindo novamente, nos reconectaremos aos planos. No momento, permanecemos com as duas linhas como estão – preservando o dinheiro”, disse a Airbus.

 

DEIXE UMA RESPOSTA