Projeto de novo avião chinês da COMAC trava após cálculos errados

Foto - COMAC/Reprodução

O programa de desenvolvimento jato chinês C919, que já acumula vários atrasos, pode ter um destino ainda pior, visto que recentemente os projetistas detectaram um problema nos motores da aeronave.

Os engenheiros da COMAC calcularam mal as forças que atuam sobre os motores do avião durante um voo, e enviaram dados imprecisos ao fabricante de motores, a CFM International.

Como resultado, o motor e sua carcaça podem ter que ser reforçados, disseram as pessoas envolvidas no assunto. O custo do reparo provavelmente será da COMAC. A COMAC ainda não finalizou os cálculos e dados corretos a serem enviados à fabricante do motor.

Aeronave Comac C919

Com esse problema, a COMAC precisará substituir os motores de todas as unidades de testes, e talvez outros componentes estruturais.

Essa série de problemas técnicos já restringiram severamente os voos de teste do C919, e o programa de desenvolvimento está seguindo lentamente.

Essa e outras falhas técnicas e estruturais significaram que, no início de dezembro, após mais de dois anos e meio de testes de voo, o COMAC havia completado menos de um quinto das 4200 horas em voo necessárias para a aprovação final pela Administração da Aviação Civil da China (CAAC).

O erro de cálculo do motor não reflete uma falta de entendimento teórico – a China coloca as pessoas no espaço há quase duas décadas. Mas ilustra a falta de experiência do fabricante aeroespacial nacional em projetar e construir aeronaves comerciais.


Foto – COMAC/Reprodução

A COMAC já encontrou rachaduras nos estabilizadores horizontais de algumas das primeiras aeronaves construídas, disseram duas fontes, embora esse problema tenha sido resolvido. A empresa também descobriu que uma caixa de engrenagens conectada ao motor estava vulnerável à rachaduras, o que causou o desligamento de um motor durante um voo de teste, disseram três fontes à Reuters, um problema que potencialmente afeta todos os seis aviões C919 construídos pela empresa.

A COMAC planejava certificar o C919 em 2021, e para isso colocou vários protótipos no programa de testes. Essa é a grande aposta da empresa para concorrer com o Boeing 737 MAX e o Airbus A320neo.

A aeronave já acumula mais de 700 encomendas, todas por companhias aéreas da China.

 

Com informações de Reuters.

 

DEIXE UMA RESPOSTA