Protótipo VSR700 realiza primeiro voo livre autônomo

Foto: Airbus

O protótipo do sistema aéreo não tripulado (UAS) VSR700 da Airbus Helicopters realizou seu primeiro voo livre. O VSR700 realizou um voo de dez minutos em um centro de testes de drones perto de Aix-en-Provence, no sul da França.

Esta é uma etapa significativa do programa após o primeiro voo em novembro de 2019, quando o protótipo foi amarrado para cumprir os requisitos regulamentares. Para possibilitar esse voo gratuito, a Airbus Helicopters implementou a geofencing, um perímetro virtual, que permitiu e justificou uma liberação de voo das autoridades de aeronavegabilidade para o vôo livre. O programa de teste de voo agora evoluirá para abrir progressivamente o envelope do voo.

“O voo livre alcançado pelo VSR700 é um passo importante para os testes no mar que serão realizados no final de 2021 como parte dos estudos de risco para o futuro drone da Marinha Francesa”, disse Bruno Even, CEO da Airbus Helicopters . “Graças ao PlanAero francês, o programa fará uso total de dois manifestantes e um veículo opcionalmente pilotado para desenvolver e amadurecer os aspectos técnicos e operacionais para operações bem-sucedidas do UAS em um ambiente naval”.

Foto: Airbus

O VSR700, derivado do Cabri G2 da Hélicoptères Guimbal, é um sistema aéreo não tripulado na faixa de peso máximo de decolagem de 500-1000 kg. Oferece o melhor equilíbrio entre capacidade de carga útil, resistência e custo operacional. É capaz de transportar vários sensores navais de tamanho completo por longos períodos e pode operar a partir de navios existentes, ao lado de um helicóptero, com uma pegada logística baixa.

Este protótipo do VSR700 evoluiu nos últimos nove meses desde seu primeiro voo. O programa implementou a função de geofencing, bem como um Sistema de Terminação de Vôo que permite que a missão seja encerrada, se necessário. As modificações foram realizadas igualmente no veículo aéreo, juntamente com as evoluções e atualizações do software de piloto automático, além de modificações e reforços estruturais.

Fonte: Airbus

DEIXE UMA RESPOSTA