(Reuters) – Citando o agravamento da crise do coronavírus, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira que o país adiará suas comemorações de 9 de maio, incluindo um enorme desfile militar na Praça Vermelha, para marcar os 75 anos da vitória da então ex- URSS na Segunda Guerra Mundial.

O Kremlin esperava assinalar o aniversário com uma pompa toda especial neste ano, já que uma série de líderes mundiais compareceria, mas Putin disse em comentários televisionados que não há opção além de adiar o evento.

“Os riscos associados com uma epidemia que não passou de seu pico são extremamente altos. E isto não me dá o direito de iniciar preparativos para o desfile e outros eventos públicos”, disse.

O número de casos de coronavírus na Rússia começou a subir acentuadamente neste mês, mas o país relatou bem menos infecções do que muitas nações ocidentais da Europa nos estágios iniciais do surto.

Confira abaixo como foi o imponente desfile do ano passado:

A Rússia confirmou 3.448 casos novos nesta quinta-feira, um recorde de aumento diário que elevou o total nacional a 27.938. As autoridades dizem que 232 pessoas morreram.

Nesta semana, várias organizações de veteranos de guerra apelaram para que Putin adiasse o desfile, dizendo querer que seja um evento memorável e espetacular – algo que parecia improvável com Moscou e muitas regiões russas em isolamento.


Em comentários transmitidos pela televisão estatal nesta quinta-feira, Putin não disse quando o desfile acontecerá, mas disse que certamente será neste ano.

No poder como presidente ou primeiro-ministro há mais de duas décadas, Putin supervisiona o desfile militar de 9 de maio todos os anos de uma tribuna repleta de veteranos de guerra.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA