Foto - Airbus/Reprodução

A Qantas Airways, companhia aérea da Austrália, está passando por uma turbulência causada pelo coronavírus. A empresa está com seu desempenho financeiro comprometido com os cortes e correções de operações sejam em voos ou em funcionários. 

A companhia tinha intenção de encomendar 12 novos Airbus A350-1000, mas o negócio no atual cenário da aviação é inviável. A Airbus ainda não respondeu sobre os slots de fabricação que pertencem a Qantas, mas o provável é que será repassado a outra empresa.

A companhia aérea também está tomando várias ações para reduzir suas despesas, como colocar funcionários em licença não remunerada, remover bônus e reduzir salários de executivos (o CEO do grupo Qantas, Alan Joyce, não receberá salário até julho de 2020).

A aeronave encomendada seria projetada especificamente para voos entre Sydney(SYD) para Londres(LHR) e Sydney para Nova York(JFK). Com tanques de combustível adicionais a bordo para garantir que eles possam voar direto e sem parar.

Apelidados de ‘Project Sunrise’, esses voos permitiriam viagens contínuas entre qualquer lugar do mundo e reduziriam o tempo de viagem entre a Austrália e os centros mundiais em uma quantidade significativa de tempo.

Cada aeronave tem o custo de US$ 400 milhões, e 12 unidades individuais elevariam o pedido total para mais de US$ 4 bilhões. Esta é uma despesa que pode ser demais para a companhia aérea no momento.

 

DEIXE UMA RESPOSTA