Como parte do plano de recuperação da empresa em meio à crise do Covid-19, a Qantas promete um encolhimento grande da sua frota.

A Qantas vai deixar em solo cerca de 100 aeronaves até a Qantas conseguir retomar boa parte dos seus voos. Atualmente a companhia tem 133 aviões na sua frota.

Essa estratégia de retirar de uso cerca de 100 aeronaves faz parte de um grande pacote de mudanças da empresa, para reduzir em uma boa margem os seus custos operacionais. 

Além disso, a empresa vai adiar as entregas de aeronaves novas, são eles os Boeings 787 e os Airbus A321neo. O impacto maior será na malha internacional, já que aeronaves que cumprem voos de longa distância, como o A380 e 747, não estão mais na frota da empresa.

A empresa considera também atrasar o pagamento do leasing de algumas aeronaves, caso seja um custo maior. 

“Adaptar-se a essa nova realidade significa algumas decisões muito dolorosas. As perdas de empregos que anunciamos hoje estão enfrentando. O mesmo acontece com milhares de pessoas em stand-down que enfrentarão uma longa interrupção nas carreiras de suas companhias aéreas até que esse trabalho retorne.”

“Temos que nos posicionar por vários anos em que a receita será muito menor. E isso significa se tornar uma companhia aérea menor no curto prazo, afirmou o CEO da Qantas, Alan Joyce, em comunicado hoje.

 

DEIXE UMA RESPOSTA