Foto: Aero Icarus

Cada vez mais os céus vão ficando sem a icônica rainha. O Boeing 747 muito admirado em todo o mundo, talvez a aeronave mais conhecida até mesmo de quem não convive no mundo da aviação, por aparição em filmes, em noticias antigas como o maior avião em operação.

Fato é que um dia nossa rainha estaria avançada e antiga, mesmo tendo uma atualização como o 747-8 com novos motores e asas. A aviação voa para um tempo onde os quadrirreatores podem não existir na frota das companhias aéreas, hoje em dia os birreatores conseguem ser mais eficientes e ir tão longe quanto os Boeings 747 por exemplo voavam.

Ontem, o Executive Traveller detalhou os horários de voos futuros da Qantas e revelou que o 747-400 está programado para não voar mais. A Qantas sempre disse que estava aposentando os 747-400 restantes até o final de 2020. A companhia aérea fazia isso antes que o COVID-19 abalasse o setor.

A expectativa geral era que os 747 restantes saíssem com um estrondo. Mas os tempos mudaram e a Qantas enviou silenciosamente vários 747-400 para os cemitérios das companhias aéreas nos últimos meses. O Executive Traveler diz que os três 747-400 restantes seguirão para o deserto de Mojave em junho.

Os últimos três Qantas 747-400 são os VH-OEE Nullarbor, VH-OEI Ceduna  e VH-OEJ Wunula.

A Qantas não está sozinha em aposentar os 747-400 restantes. O impacto da COVID-19 também está fazendo com que outras companhias aéreas antecipem as aposentadorias. A Qantas opera vários modelos do 747 desde 1971. A companhia voou 65 deles. O avião tem um lugar especial no coração de muitos australianos, porque era a viagem deles para outro lugar.

Foto: Qantas

DEIXE UMA RESPOSTA