Qatar Airways quer adquirir 49% da RwandAir e estuda a IndiGo

A Qatar Airways está em negociações para adquirir uma participação de 49% na estatal RwandAir e está “interessada em investir” na companhia indiana de baixo custo IndiGo quando for a hora certa, divulgou hoje o principal executivo da companhia do Golfo, Akbar Al Baker.

Durante uma aparição na Cúpula Aeropolítica e Regulatória da CAPA Qatar Aviation em Doha, transmitida ao vivo pela conta do Twitter da Qatar Airways, Al Baker revelou que o membro da Oneworld estava “negociando” uma participação de 49% na RwandAir.

Ele disse que a RwandAir é atraente por causa de sua “localização, estabilidade do país e ambiente de negócios muito favorável”.

O executivo-chefe da Qatar Airways, Akbar Al Baker, retratado aqui (à esquerda) na conferência de imprensa do 20º aniversário da Oneworld em 2019, diz que a companhia aérea está negociando uma participação na RwandAir

O anúncio segue um acordo assinado pela Qatar Airways em dezembro para adquirir uma participação de 60% no novo aeroporto de Kigali, que, segundo Al Baker, terá capacidade para 10 milhões de passageiros.

“Na África, há uma grande demanda por viagens aéreas e hoje a África está muito mal conectada; portanto, sempre buscamos oportunidades em nosso campo para fazer investimentos semelhantes aos que fizemos no passado”, acrescenta Al Baker.

Os dados das frotas Cirium mostram que a RwandAir opera com 12 aeronaves, incluindo quatro aviões Boeing 737-800, dois 737-700, dois Airbus A330, dois Bombardier CRJ900 e dois Q400. A companhia serve destinos na África central, oriental e meridional, além de pontos na Europa, subcontinente indiano e Emirados Árabes Unidos.

Al Baker também enfatizou seu interesse em investir na IndiGo, descrevendo-o como “a única companhia aérea em que estamos muito interessados em investir na Índia, uma vez que exista a atmosfera em que poderíamos investir e nos beneficiar das sinergias que essas duas companhias aéreas, Qatar Airways e IndiGo, fornecerão”.


Ele acredita que a IndiGo é “muito eficiente” e “muito lucrativa”, mas aponta para “conflito de acionistas” na companhia aérea indiana e diz que a Qatar está “esperando a oportunidade certa” para fazer uma abordagem.

No mês passado, os acionistas da IndiGo votaram contra uma proposta para suspender as restrições à venda e aquisição de ações. A companhia já opera com mais de 250 aviões na sua frota, e tem encomenda para mais 650 aviões.

 

Via – FlightGlobal

 

DEIXE UMA RESPOSTA