Quando a Southwest Airlines quebrou sua tradição e operou com o Boeing 727

Foto - Divulgação

Conhecemos a Southwest Airlines como a maior operadora de aeronaves Boeing 737 do mundo, com aproximadamente 700 aviões desse modelo na sua frota.

A companhia é fiel ao modelo, com mais de 750 deles em sua frota. Mas você sabia que a Southwest já operou com o trimotor Boeing 727?

 

Southwest Airlines quebrando sua tradição

A Southwest passou entre 1978 e 1985 operando com aviões Boeing 727 na sua frota. Foram cinco aviões “intrusos” na frota da companhia, que já operava majoritariamente com o Boeing 737-200.

Em 3 de agosto de 1978, a Southwest Airlines arrendou um único Boeing 727-200 da Braniff International, conhecida pelos seus aviões coloridos.

Como parte do arrendamento, a Braniff International também concordou em fornecer treinamento e suporte de manutenção aos funcionários da Southwest.

A aeronave foi arrendada sob a condição de permanecer com a companhia aérea por dois anos, com o contrato iniciando em março de 1979. O objetivo era devolver a aeronave ao locador em março de 1981.


No entanto, a companhia aérea a devolveu muito antes. Antes do término do contrato, a Southwest devolveu a aeronave à Braniff International em 10 de janeiro de 1980.

 

Interesse no Boeing 727 continuou até 1985

Aquilo poderia ter parecido o fim; um curto período com uma aeronave com a qual não estava muito familiarizada. Mas não, a Southwest estava apenas dando um tempo para o avião.

A Southwest continuou a adicionar aviões do modelo 727 a sua frota.

A Southwest arrendou dois aviões Boeing 727 em 8 de setembro de 1983, mas esses aviões tinham contrato de arrendamento de um ano.

Em 24 de fevereiro de 1984, quase seis meses depois, a empresa fechou outros dois contratos de leasing, para Boeing 727-200. Isso elevou o tamanho total da frota para quatro Boeing 727. Essas duas novas aeronaves foram alugadas da People Express, de onde também foram arrendadas as outras duas aeronaves.

Embora não esteja claro quando, a Southwest também incorporou na sua frota outro 727. Isso elevou o tamanho da frota para cinco aviões 727 operados ao mesmo tempo.

Em 10 de setembro de 1985, a Southwest devolveu todas as cinco aeronaves modelo 727-200 que havia arrendado ao longo dos anos.

Depois da passagem dessas aeronaves, a Southwest nunca mais operou com o 727, e começou a substituição em massa do 737-200 pelo 737 Classic (2ª geração – Motores CFM 56).

 

Por que a Southwest optou pelo 727?

A Southwest Airlines nunca declara em seu site o motivo de utilizar o Boeing 727 em sua frota, mas sabemos que nessa época a companhia aérea estava se ramificando. Em 1975, a Southwest Airlines começou a voar para o Texas e, em 1979, se iniciou voos para outras cidades vizinhas.

É compreensível, então, por que a Southwest escolheu o 727. Era um jato projetado para vôos de curta a média distância, mas seu tamanho significava que também era adequado para pistas menores, como aquelas pertencentes a aeroportos regionais da cidade.

A produção de 727 parou, mas a produção 737 continua. Foto: Boeing Dreamscape

Com o consumo superior do Boeing 727, e apesar de ter um lindo som, o 737-300 apresentava um menor ruído para os passageiros. A Southwest seguiu o caminho de substituir essas poucas aeronaves pelo novo 737-300 ou por aviões 737-200 ADV (com redutor de ruído estágio 3).

Atualmente, não há companhias aéreas voando com o Boeing 727 em voos comerciais de passageiros, mas ainda opera como cargueiro, inclusive no Brasil.

 

DEIXE UMA RESPOSTA