Foto - Aeroporto de Brasília/Inframerica

A IATA agora espera que o surto de coronavírus reduza as receitas das companhias aéreas que transportam passageiros em US$ 252 bilhões neste ano, mais do que o dobro da estimativa anterior de pior cenário.

Isso equivale a uma queda de 44% nas receitas de passageiros comparando com dados de 2019. Ao mesmo tempo, essa recessão deve causar uma redução de 28% no tráfego global de passageiros, em comparação com 2019.

Falando hoje, quando os números revisados ​​foram divulgados, o diretor geral da IATA, Alexandre de Juniac, descreveu o surto de coronavírus como a “crise mais profunda” que o setor já enfrentou.

“Precisamos que os governos ajam rapidamente com ajuda financeira“, afirma ele, caso contrário “quase metade” das companhias aéreas “morrerá” nas próximas semanas.

No início de março, a IATA sugeriu que o impacto nas receitas seria da ordem de US$ 63 bilhões a US$ 113 bilhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA