Foto - Peter Nicholls/Reuters

O Reino Unido, através da BAE, apresentou no Farnborough Airshow 2018 um caça de nova geração, com finalidade de substituir o conhecido Eurofighter Typhoon.

De acordo com informações preliminares, o Tempest (nome do caça) será desenvolvido até 2025 por um conjunto de empresas, são elas a BAE Systems, a Rolls-Royce, a MBDA UKe a italiana Leonardo.

Curiosamente a Leonardo é responsável pela fabricação do F-35 na Itália, e na semana passada o Governo Italiano desistiu de encomendar mais caças F-35, além de querer cancelar parte da encomenda atual.

O valor de desenvolvimento do caça está na casa de £ 2 bilhões, isso tudo somente para o desenvolvimento dos protótipos e das tecnologias que possibilitam criar um caça de sexta geração.

O Reino Unido espera que até 2035 o caça esteja operacional na frota da Royal Air Force (RAF), ele se integrará com o F-35 e, comparando com a Força Aérea dos Estados Unidos, seria um complemento dessa aeronave, como o F-22 é nos EUA. 

As imagens do conceito apontam o uso de dois motores para a propulsão, mas não há indícios sobre o uso de empuxo vetorado.

Tecnologia de 6ª geração

As tecnologias de sexta geração do Reino Unido serão focadas no uso da inteligência artificial, com possibilidade do comando do caça sem a presença do piloto a bordo e também na localização automática de alvos.

O localizador de alvos será capaz de se manter atento à vários aviões inimigos ao mesmo tempo, e agir com precaução em um ambiente hostil.

O Reino Unido planeja seguir uma linha parecida com a USAF no contexto de armas, com feixes de microondas e interferência por microondas nos sistemas de outros aviões.