Bombardeiro B-52H Stratofortress sobre o Oriente Médio. Foto: USAF

Falando a legisladores do Comitê de Forças Armadas do Senado Americano na última quinta-feira (17), o Secretário Interino da Força Aérea, John P. Roth, afirmou que a troca dos motores do bombardeiro estratégico B-52H Stratofortress terá um custo de US$ 11 bilhões, 9% mais caro do que o estimado anteriormente. 

Roth disse que estão incorretas as afirmações da mídia que o Programa de Remotorização Comercial do B-52 (B-52 CERP) seria 50% mais caro do que o estimado, e destacou que o aumento de 9% reflete informações obtidas através da prototipagem do sistema junto de “uma reavaliação do requisito” e a complexidade inerente de integrar um motor comercial moderno à “plataforma envelhecida que o B-52 é”, disse ele. O Secretário também enfatizou que o aumento de custo leva em consideração as “realidades de compra da base industrial atual”.

Militares realizam trabalhos de manutenção nos motores de um B-52H durante um desdobramento da Força-Tarefa de Bombardeiros. Foto: Senior Airman Jovante Johnson/USAF.

Durante o comitê, a USAF não foi capaz de prover números mais precisos, nem informou se o aumento de 9% é um aumento de “ano base” ou do ano próprio ano, explica a Air Force Magazine. Roth também explicou que o B-52 CERP é um dos programas “desbravadores” da USAF, para usar novas autoridades do Congresso para conduzir aquisições de “nível intermediário”, o que significa que os programas pulam etapas demoradas que agregam pouco ou nenhum valor. 

O uso dessa abordagem reduzirá “cerca de três anos” do CERP , disse ele. No entanto, ele disse que a abordagem requer “métricas rigorosas” para determinar se a abordagem está funcionando e a vontade de mudar de curso se não estiver. O Programa também utiliza comparações diretas totalmente digitais de diversos motores concorrentes. Espera-se que um pedido de propostas sobre o CERP seja lançado à indústria neste verão.

O CERP foi inicialmente estimado em cerca de US$ 10 bilhões, mas o Comando de Ataque Global da Força Aérea e o Comando de Material da Força Aérea disseram que o programa provavelmente “se pagará” através de um ganho esperado de 30% em eficiência de combustível e requisitos de manutenção drasticamente reduzidos. Os motores provavelmente nunca serão removidos de suas asas porque a aeronave deve se aposentar antes que os motores precisem de uma revisão.

O Chefe do Comando de Ataque Global, General Tim Ray, disse que a remotorização dos B-52 poderia gerar até mesmo uma redução desproporcional na necessidade de suporte de aviões-tanque ao bombardeiro, com uma queda de até 50% dependendo do cenário.

Foto: USAF.

O CERP é parte de uma série de melhorias do B-52, incluindo a substituição de seu radar, atualizações de conectividade e uma nova “espinha dorsal” digital para a aeronave. A solicitação de orçamento para o Ano Fiscal de 2022 inclui US$ 804 milhões para melhorias no B-52, incluindo o CERP, o programa de modernização do radar, adicionando suporte ao Link 16 e equipamento de dados de missão.

Na audiência de 17 de junho, o Chefe do Estado-Maior da USAF, General Charles Q. Brown, Jr. disse que o CERP é uma das maneiras pelas quais a Força Aérea está respondendo à diretriz do governo de Joe Biden para que o Pentágono faça sua parte para lidar com a mudança climática, dado o redução acentuada em seu consumo de combustível se o programa for bem-sucedido.

 

DEIXE UMA RESPOSTA