A Embraer se dedicará bastante nos próximos meses que encerram esse ano de 2019 para conseguir mais uma encomenda da 2ª Geração dos E-Jets, agora uma possível “compra” da Aeromexico de 60 aviões regionais.

A informação foi compartilhada por Reinaldo Krugner, Vice-Presidente de Vendas da Embraer na América Latina e Caribe, que falou mais sobre essa dedicação da empresa de conseguir as 60 encomendas previstas.

A Aeromexico já é uma operadora de aviões da Embraer, com cerca de 10 aeronaves do modelo E170 e mais 47 aviões E190 na sua frota da Aeromexico Connect.

Além de gastar mais combustível, esses aviões não ajudam a Aeromexico na melhor utilização dos concorridos slots no Aeroporto Internacional da Cidade do México, e quer aumentar a oferta através do E195-E2 ou do A220-300.

A Aeromexico ainda está indecisa entre o Embraer E195-E2 e o Airbus A220, e os estudos com esses dois aviões estão ocorrendo desde 2017, de acordo com o presidente-executivo da companhia, Andres Conesa.

“Neste momento estamos respondendo a todas as perguntas que a Aeromexico está fazendo. Estamos convencidos de que nossa aeronave E195-E2 é o ideal para o mercado que a Aeromexico quer operar no futuro”, declarou Reinaldo Krugner durante o Evento a ALTA.

A negociação total da companhia pode variar entre US$ 4,25 bilhões a US$ 4,9 bilhões.

De acordo com Andres Conesa, “o E195-E2 aumentaria a capacidade de assentos em cerca de 25% em comparação com a frota existente da companhia aérea, de jatos Embraer E190 de 1ª geração, enquanto a A220 proporcionaria um aumento de 35%”.

O destaque do E195-E2, de acordo com Krugner, é o custo 26% menor por passageiro transportado em comparação com o E195-E1 da geração anterior.

A falta de infraestrutura dificulta nossa capacidade de ter mais operações. A única possibilidade de crescer é adicionando aviões maiores”, disse Andres Conesa.

Essa encomenda para 60 aviões é para substituir diretamente o E190, e alguns aviões Boeing 737-700. Não há demais pistas sobre qual a preferência da Aeromexico nessa disputa, e o fato de participar de uma joint-venture com a Delta pode não influenciar as escolhas da companhia.
 
A Aeromexico já estipulou que vai manter três modelos na sua frota, incluindo a subsidiária regional Aeromexico Connect. A companhia já estabeleceu dois modelos para o futuro, o Boeing 787 Dreamliner e o Boeing 737 MAX, falta o 3º modelo que abrange o mercado de 150 a 100 assentos.