A Rolls-Royce estava nos últimos anos em rápido desenvolvimento de tecnologias e soluções em propulsão para o futuro da aviação.

A empresa se colocou à frente em projetos de propulsão híbrida, elétrica e até para criar novos motores a reação, como tecnologias inovadoras. Os projetos concentram esforços para o futuro, ou a aviação pós-2030.

Descrevemos até o novo desenvolvimento da empresa na matéria que você pode conferir Clicando Aqui.

No entanto, a empresa britânica pode optar por paralisar o desenvolvimento da tecnologia “UltraFan” após o término dos testes, em 2022. A informação foi compartilhada pelo CEO da Rolls-Royce, Warren East, em entrevista ao Financial Times.

O motivo é que a Rolls-Royce não vê um horizonte de novos aviões sendo desenvolvidos nos próximos anos. O projeto do UltraFan estava inicialmente sendo cotado para o projeto NMA da Boeing, de um avião entre 180 a 300 assentos. Ao mesmo tempo, a Airbus se interessou pelo conceito para criar futuramente um A350neo.

Vale ressaltar que o conceito “UltraFan” não será descartado, ele ficará disponível para potenciais aplicações futuras, e é uma vantagem competitiva para a Rolls-Royce. No entanto, o período extra pode significar que outras concorrentes, como a GE e a Pratt & Whitney consigam tempo para criar algo semelhante.

A Rolls-Royce disse que outros projetos, como de motores para aviões de corredor único (narrowbody) também estão sendo paralisados, juntamente com o conceito UltraFan que tem o foco em aviões acima de 180 passageiros.


O primeiro motor UltraFan já está sendo construído pela Rolls-Royce, e deverá ser finalizado nos últimos meses deste ano. Os testes seguem ao longo de 2022, de acordo com a Rolls-Royce, com base neste motor de testes de 84000 libras, curiosamente um empuxo similar ao motor Trent XWB do A350.

Ao Portal Aviation Week a Rolls-Royce disse:

Continuamos firmemente comprometido em desenvolver um motor de próxima geração que reduzirá as emissões em 25% em comparação com a primeira geração do Trent. Investimos incansavelmente no programa de tecnologia UltraFan, que tem aplicabilidade de 25.000 a 100.000 lb de empuxo e pode ser usado para programas de corpo estreito (corredor único) e largo (corredor duplo).

O tempo eventual de entrada em serviço do UltraFan dependerá dos requisitos dos fabricantes de aeronaves. Continuamos comprometidos em ter um produto disponível para o mercado na virada da década, mas na fase de pós-teste continuaremos monitorando os requisitos do cliente no futuro, especialmente devido ao impacto do COVID-19. Se isso exigir que reformulemos o programa, então o faremos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA