Avião-tanque A330 MRTT Voyager - Foto: RAF

A fabricante britânica de motores Rolls-Royce tem esperança de que em breve poderá iniciar voos de teste com aeronaves militares movidas por seus motores e usando misturas de combustível de aviação 100% sustentável (SAF). A RR já está conversando com a Real Força Aérea Britânica (RAF), que emprega os Airbus A330 MRTT e que usam os motores Trent 700. 

No momento, os motores da Rolls-Royce estão qualificados para misturas 50% SAF, mas a RR acredita que há uma forte demanda de seus clientes militares para levar isso adiante.

“Já iniciamos uma conversa realmente boa com a Força Aérea Real do Reino Unido e estamos iniciando conversas internacionais também sobre como podemos usar SAF em sistemas de turbinas a gás para levar os clientes em suas viagens declaradas para [carbono] líquido zero”, disse Dave Gordon, vice-presidente sênior dos negócios de defesa da RR no Reino Unido em um briefing pré-DSEI, realizado nesta quinta-feira (09). 

A330 MRTT da RAF reabastecendo caças Rafale e F-35B. Foto: RAF.

Dave ressalta que várias forças aéreas em todo o mundo fizeram “declarações públicas em torno de suas aspirações de descarbonização”. A RAF, por exemplo, pretende chegar a zero emissão até 2040. O aumento do uso de SAF é a “única maneira confiável” de atingir esses objetivos, diz Dave. 

A RR irá “visar, em primeiro lugar, os ativos com alta utilização”, diz ele, observando que as aeronaves que são derivados de tipos comerciais, que é o caso dos reabastecedores A330 MRTT em serviço com a RAF, que usam os motores Rolls-Royce Trent 772B. Dave acredita que tais atividades de teste podem começar rapidamente assim que houver um acordo com o cliente e a Airbus, o que também traria benefícios de certificação para operadores comerciais do A330.

A330 MRTT da RAF (Voyager KC.Mk 3) reabastecendo um A400M Atlas. Foto: Airbus.

Devido à forte semelhança entre o SAF e o combustível de aviação regular, “o desafio técnico [funcionar com uma mistura 100% SAF] não é tão grande quanto parece”, acrescentou ele. Além dos benefícios ambientais, o aumento do uso de SAF poderia “estender a vida útil da turbina a gás”, além de fornecer aos clientes “resiliência e segurança de abastecimento” se eles não dependerem mais de combustíveis convencionais.

Via Flightglobal

DEIXE UMA RESPOSTA