Em seu anúncio para o mercado financeiro com resultados do segundo trimestre, a Rolls-Royce apontou um custo adicional de US$ 725 milhões (£ 554 milhões), referente ao reparo e inspeção de motores Trent 1000, após investigações apontarem um problema de projeto cobrando uma rápida solução da Rolls-Royce.

Além disso a Rolls-Royce está aplicando um dinheiro extra para resolver entraves na linha de montagem do motor Trent 900, que equipa o Airbus A380. 

A empresa classificou essa situação como “anormal”, e disse que espera uma diminuição substancial do custo extra ao passo que não precisará revisar tantos motores ao mesmo tempo e nem fabricar peças para substituir as defeituosas.

Atualmente a Rolls-Royce está investindo o seu tempo na antecipação da atualização TEN, para o motor Trent 1000, que deverá resolver a situação de desgaste acentuado dos componentes internos. O processo de pesquisa deverá ser finalizado até dezembro deste ano, se tudo ocorrer como o planejado, e as novas peças serão fabricadas a partir de 2019, possibilitando que as aeronaves paradas atualmente continuem voando.

Motor Trent 1000 equipa as aeronaves Boeing 787. O motor GE GEnx é outra opção para o 787. Foto – Boeing/Divulgação

A atualização de todos os motores atuais com pacote B e C vai perdurar até 2022, quando a Rolls-Royce espera acabar com esse custo adicional.

Só nos primeiros seis meses de 2018 a Rolls-Royce já perdeu £ 1,3 bilhões para as modificações e inspeções dos motores Trent 1000. A empresa já tinha anunciado em junho a demissão de 4600 funcionários, com finalidade de economizar 400 milhões de libras por ano.

 

Situação atual das atualizações

A Rolls-Royce relatou que já iniciou os testes para certificar as novas pás do compressor intermediário, no caso para equipar motores do pacote C de atualizações, o caso mais crítico no momento de desgaste acentuado dos componentes internos.

A Rolls-Royce iniciará em breve a certificação do mesmo componente, só que adequado para os motores com pacote B de atualizações.

Ao mesmo tempo a Rolls-Royce está agindo com precaução, ao testar novos componentes modificados para os motores Trent 1000 TEN, que serão lançado em breve, e para o Trent 7000, que equipa o Airbus A330neo.