Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Sukhoi SU-57- Foto: © Sergei Bobylev /TASS

Falando com repórteres nesta quarta-feira (16), o Vice-Primeiro-Ministro da Rússia Yuri Borisov disse que o Ministério da Defesa e a fabricante Sukhoi planejam o desenvolvimento de uma versão biposto do caça furtivo Su-57 Felon para o mercado de exportação. 

“Há interesse nesta aeronave e, na minha opinião, ele crescerá a cada ano que passa, à medida que nosso Exército recebe o modelo. Os clientes estrangeiros primeiro olham como uma arma específica das Forças Armadas russas opera. O Ministério da Defesa e o Sukhoi Design Bureau tem planos de desenvolver uma aeronave para dois pilotos que vai aumentar a demanda de exportação para este modelo… e pode criar uma demanda adicional”, disse Borisov durante uma viagem de trabalho à região de Primorye no Extremo Oriente russo.

De acordo com a agência TASS, o CEO da estatal Rosoboronexport, Alexander Mikheyev, confirmou no início do mês que pelo menos cinco países do sudeste asiático estavam demonstrando interesse no caça Su-57 de quinta geração. A Rússia recebeu sua primeira unidade de produção em dezembro de 2020. 

Quatro caças russos Su-57 Felon. Foto: Ministério da Defesa da Rússia

Se o projeto seguir em frente, o Su-57 seria o primeiro caça de quinta geração com dois assentos. A grande vantagem de se ter dois tripulantes é a divisão de tarefas, onde, comumente, o militar do assento frontal fica responsável pelo voo da aeronave, enquanto quem está no assento traseiro realiza tarefas de comunicação, navegação, emprego de armamentos e sensores, além da conversão operacional de novos pilotos.

O mais popular caça de dois assentos da Rússia é o Sukhoi Su-30, uma evolução do Su-27UB. O modelo é operado por 14 países em diferentes variantes e subvariantes, incluindo Malásia com o Su-30MKM, Venezuela com o Su-30MKV, Índia com o Su-30MKI, Rússia com o Su-30SM e outros. 

Sukhoi Su-30SM Flanker-C armado com mísseis R-73, R-77 e Kh-31. Foto UAC.