Sukhoi Superjet 100 Rússia MAKS 2021
Superjet da Aeroflot pronto em linha de montagem da Sukhoi.

Nas últimas semanas acompanhamos várias movimentações da Rússia para aumentar a produção de aviões nacionais, mesmo que a tecnologia de alguns desses equipamentos remetam ao período soviético.

E nesta segunda-feira (27/06) o primeiro-ministro da Rússia, Mikhail Mishustin, declarou durante uma reunião que o país planeja aportar 770 bilhões de rublos (US$ 14,5 bilhões), com finalidade de desenvolver a indústria de transporte aéreo.

A estatal Aeroflot deverá ser a principal beneficiada desse investimento, que tem aportes de até US$ 2,8 bilhões planejados ainda para 2022. A companhia planeja comprar até 2030 cerca de 300 aviões fabricados pela estatal United Aircraft Corporation, que fabrica o MC-21, Tu-214 e o SSJ-100.

“Há muito trabalho a ser feito para criar a infraestrutura eficiente necessária no setor”, disse Mishustin. “A participação de aeronaves produzidas internamente na frota de companhias aéreas russas deve crescer para 81% até 2030.” 

Os russos também declararam que há um foco em entregar mais peças de reposição do SuperJet 100 para aéreas da Rússia, apesar da dificuldade de aferir a veracidade dessa informação. Atualmente cerca de 150 aviões Sukhoi SSJ100 Superjet operam voos na Rússia em 11 operadores diferentes.

Interior do SSJ100.

Com as sanções internacionais que proíbem a exportação de aeronaves e peças ocidentais para a Rússia, o país agora está acelerando a fabricação de aviões nacionais, como o SSJ100, uma versão atualizada do IL-96 e o novíssimo MC-21, o projeto mais moderno da Rússia até então.

“O MC-21 é projetado para voos em distâncias de cerca de 6000 km e está sendo criado como substituto do Tu-154 e Tu- 204/214, e também como alternativa às aeronaves estrangeiras Airbus A320 e Boeing 737”, declarou a mídia estatal TASS.

Mais de 1000 aviões deverão ser fabricados até 2030, de acordo com Manturov.