Rússia pode atrasar desenvolvimento do quadrimotor IL-96

O ministério dos transportes da Rússia está apresentando uma proposta legislativa para retirar os subsídios destinados ao programa Ilyushin Il-96-400M e redirecioná-los para apoiar outras áreas da indústria aeronáutica do país.

A “atual falta de um potencial cliente” para o Il-96-400M apresenta um risco em relação ao subsídio, de acordo com o projeto de lei elaborado por políticos do país. Até o momento não há interessados na versão modernizada do IL-96, muito menos na parte militar do país.

Por outro lado, a própria UAC se encaminha para uma solução diferente, criando um avião de nova geração, o CR929, em parceria com a China.

No total, o país deveria direcionar em 2020 cerca de US$ 181 milhões para o desenvolvimento do IL-96, mas esse orçamento pode ter um comprometimento envolvendo 60 a 90% do valor, que poderá ser realocado para outros programas, como do jato regional SSJ100.

A consequência da retirada de subsídios de uma aeronave em desenvolvimento é logicamente o atraso de todo o programa.

O Il-96-400M é uma versão “totalmente modernizada”, com base no IL-96-400, e representa uma aposta da Rússia no segmento de aeronaves de grande porte, enquanto o projeto do CR929 ainda está em desenvolvimento.

A nova aeronave deverá entrar no mercado entre 2020 e 2022, de acordo com a UAC, e pode receber até 402 assentos em seu interior. Destaque para os novos bins, que remetem ao Boeing 787, e ao interior totalmente fora do padrão russo, com a saída de ar nos assentos.


No entanto, com o atual estágio de montagem do primeiro protótipo, o primeiro voo deve ocorrer em meados de 2021, de acordo com a Ilyushin. Os testes em solo serão iniciados no 4ª trimestre de 2020.

Por enquanto o IL-96-400M será equipado com quatro motores Aviadvigatel PS-90A1, com capacidade de produzir 38300 lbs de empuxo. Esses motores são modernizados, e com maior capacidade de empuxo da família.

 

DEIXE UMA RESPOSTA