(Reuters) – A Rússia desenvolverá mísseis hoje proibidos pelo Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) se os Estados Unidos deixarem o pacto de controle de armas e começarem a fabricar tais armamentos, disse o presidente Vladimir Putin nesta quarta-feira.

Na terça-feira os EUA deram um ultimato de 60 dias para a Rússia se pronunciar a respeito do que Washington vê como uma violação do tratado de armas nucleares de 1987, dizendo que serão forçados a iniciar um processo de seis meses de retirada se nada mudar.

Em comentários televisionados, Putin acusou os EUA de culparem a Rússia por violações como pretexto para romperem o pacto.

Putin observou que muitos países produzem mísseis proibidos pelo INF, mas que Moscou e Washington se comprometeram a se limitarem com base no acordo assinado em 1987.

“Agora parece que nossos parceiros americanos acreditam que a situação mudou tanto que os Estados Unidos também precisar ter tal arma. Qual é a nossa resposta? É simples: neste caso também faremos isso”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA