Rússia recebe o primeiro caça Sukhoi Su-57 produzido em série

Rússia Sukhoi Su-57

Perto do Natal a Sukhoi conseguiu cumprir a sua promessa de entregar o primeiro caça Su-57 produzido em série para as Forças Aeroespaciais da Rússia.

O avião conta com sua pintura final, composta por dois tons de cinza, com quadriculados que dividem as duas tonalidades. Essa é diferente da pintura utilizada durante o processo de testes por parte da Sukhoi.

Decolagem de um SU-57. Foto – Reprodução/UAC

O avião entregue, no entanto, não conta com os motores atualizados, que são capazes de levar o Su-57 ao voo em supercruise, ou seja, atingir velocidade supersônica sem o auxílio do pós-combustor. O primeiro Su-57 com motores atualizados será entregue em 2022.

A entrega deveria ter ocorrido anteriormente, no entanto, em dezembro de 2019 um incidente com um caça Su-57, sendo este já produzido em série, interrompeu o processo de certificação final e até da entrega.

Enquanto isso a Sukhoi planeja aumentar a taxa de entrega do novo caça para 15 aeronaves por ano. Sendo todas as encomendas para as forças aeroespaciais russas.

De acordo Sergei Dronov, vice-comandante-em-chefe da Força Aeroespacial, os planos de conclusão das entrega dos 76 caças furtivos SU-57 está prevista para 2028.

O SU-57 é um caça de 5º geração que fez seu voo inaugural em janeiro de 2010. O caça russo faz frente aos norte-americanos F-22 Raptor e F-35.
 
Um de seus diferenciais são os bocais de empuxo vetorizado, nos moldes de algo que é conhecido dos caças russos, como o SU-27, SU-30 e SU-35.

Entre as capacidades do Su-57 está a possibilidade de voar por 5 horas e meia com somente um tanque de combustível e com armamento, a detecção de alvos a 400 quilômetros de distância, além da capacidade de atingir 16 alvos simultaneamente usando mísseis guiados por laser que se comunicam com o computador interno da aeronave.
 

Ele é um caça multiuso projetado para os papéis de superioridade aérea e ataque ar-ar. O avião está planejado para ter capacidades de super-cruzeiro, não detecção por radares, super-capacidade de manobra até em Mach 2 e aviônicos avançados para superar a 4ª geração de caças.


DEIXE UMA RESPOSTA