O Ministério de Defesa da Rússia recebeu o primeiro bombardeiro Tu-160 modernizado por uma filial da Tupolev, mesma fabricante da aeronave. A nova denominação do bombardeiro é a Tu-160M2, e a Rússia planeja produzir em série esse avião a partir de 2023, depois de modernizar os atuais, criando a versão PAK DA.

De acordo com a Força Aérea da Rússia o bombardeiro foi todo modernizado para se adequar às novas necessidades de defesa do país, uma revisão completa também é realizada no bombardeiro que já estava fazendo voos, evitando que ele volta para a frota da Força Aérea com baixa capacidade operacional e confiabilidade.

Há novos equipamentos de navegação eletrônica, inexistentes na versão anterior do Tu-160, além de novas armas e sistemas embarcados.

Foto – Sputnik/ Maksim Bogodvid

“Os complexos de aviação, entregues à Tupolev para modernização, foram realizados com sucesso todos os trabalhos necessários, inclusive os testes de voos operacionais e de aceitação. Os caças estão prontos para ser enviados às suas bases”, disse o diretor-geral da Tupolev, Aleksandr Konukhov, citado pelo Rossiyskaya Gazeta.

Essa atualização também acompanha a entrega de dois aviões Tu-95MS modernizados pela Tupolev para a Força Aérea da Rússia, além de um bombardeiro Tu-22M3, entregue em julho.

Capaz de transportar a bordo 12 mísseis de grande porte e mais algumas bombas, o Tu-160 é uma aeronave supersônica com 54,1 metros de comprimento e altura de 13,1 m. Necessita de 4 tripulantes e voa sem parar por até 14000 quilômetros. Seu grande destaque é a asa de geometria variável de acordo com a velocidade.