A Ryanair anunciou recentemente os seus dados financeiros referentes ao 3º trimestre de 2018, e em meio a um prejuízo líquido de 19,6 milhões de euros, a companhia anunciou uma profunda reestruturação, onde vai criar quatro novas filiais.

Atualmente a Ryanair trabalha na Europa com base nas leis da Irlanda, onde está sua sede, mas a companhia sofreu alguns problemas principalmente relacionados aos tripulantes e seus sindicatos.

Desta forma a Ryanair será dividida em quatro companhias:

  • A primeira continua sendo a Ryanair da Irlanda, chamada agora de Ryanair DAC.
  • A segunda é a Ryanair UK, que tem sede no Reino Unido.
  • A terceira é a Ryanair Sun, com sede na Polônia.
  • A última é a Laudamotion, que continuará com sua própria identidade.

Cada empresa terá seu próprio CEO, e funcionará como uma companhia aérea vinculada à Ryanair DAC, onde Michael O’Leary continua no seu cargo de presidente.

A companhia justificou que isso possibilitará reduzir os custos de operação, e expandir o seus voos sem limitações locais, inclusive no leste europeu.

As alterações serão realizadas ao longo dos próximos 12 meses, os passageiros não perceberão as diferenças entre a atual e as filiais, exceto pela Laudamotion que continua com sua própria identidade.

A empresa justificou o prejuízo no 3º trimestre de 2018 como algo momentâneo, causado por uma alta no preço dos combustíveis, agressividade de pequenos players (que a Ryanair planeja adquirir para diminuir a concorrência), reivindicação dos tripulantes e indenizações pagas pelos voos cancelados (devido às greves).