Boeing 737 MAX 200 nas cores da Ryanair.

A Ryanair, que enfrenta um período de limitação do seu crescimento devido ao impasse do 737 MAX, declarou recentemente que deixará de pagar as parcelas do 737 MAX, até a entrega desses aviões.

Os atrasos nas entregas do 737 MAX, causado por problemas na nova certificação da aeronave após os acidentes, derivou em vários problemas para a Ryanair nos últimos meses.

Com a crise do 737 MAX nos últimos meses, a Ryanair está tentando minimizar os efeitos, seja cancelando voos e reduzindo o crescimento, como tentando esconder a marca do seu novo avião, como ressaltamos em uma matéria publicada aqui no Portal Aeroflap.

Em julho, a Ryanair reduziu para metade as suas metas de crescimento para o próximo ano devido aos atrasos do 737 MAX. A expansão da oferta de assentos foi reduzida de 7% para apenas 3%, e muitas aeronaves que deveriam ser aposentadas agora ficarão na frota da companhia. Logicamente, o 737-800 consome mais em comparação com o 737 MAX.

Além desse problema, a Ryanair tem outro, o excesso de funcionários na empresa, causado em boa parte pelo adiamento das entregas do 737 MAX 200, e também a paralisação dessa aeronave em todo o mundo.

A Ryanair continua com suas 135 encomendas para o 737 MAX 200, e deve receber a primeira aeronave deste modelo em 2020, ela já está totalmente montada e pintada, nas instalações da Boeing.