O CEO da Ryanair, Michael O’Leary, declarou durante uma coletiva realizada pela agência Thomson Reuters que a companhia tem interesse nos aviões arrendados pela falida Thomas Cook.

Os aviões citados por O’Leary são todos da Airbus, da família A320, pertencentes à empresas de leasing, então é possível arrendar novamente essas aeronaves.

Logicamente, esses aviões não serão colocados na frota da Ryanair, mas quem vai receber as aeronaves é a Lauda Air, onde a Ryanair é acionista majoritária.

Michael O’Leary disse que o plano é aumentar a frota de Lauda para o verão europeu de 2020. Atualmente a companhia tem uma mescla de 21 aviões A320, e opera voos a partir da Alemanha e da Áustria.

O número de aeronaves que a Lauda Air colocará na sua frota dependerá do preço dos ativos, e da capacidade da empresa de recrutar e treinar pilotos antes da temporada de verão.

O’Leary destacou que a grande atratividade de arrendar esses aviões é o baixo valor do leasing, apesar desses aviões consumirem 15% a mais de combustível, em comparação com o A320neo.