Primeira seção traseira da fuselagem do T-7A Red Hawk. Foto: Saab/Divulgação.

A Saab completou mais uma importante etapa do programa T-7A Red Hawk na última quinta-feira (15) ao enviar a primeira seção de fuselagem traseira para a Boeing. A peça foi projetada e construída pela fabricante sueca na sua sede em Linköping e enviada para St. Louis, nos EUA. 

A produção e envio do material é o mais recente marco na contribuição da Saab para o projeto e desenvolvimento do novo treinador avançado para a Força Aérea dos Estados Unidos. 

Após o termino da fase de EMD (Desenvolvimento de Engenharia e Fabricação), a peça será produzida pela Saab em sua nova sede em West Lafayette, no estado americano de Indiana. 

“O T-7A Red Hawk representa um feito notável de engenharia no desenvolvimento de aeronaves; tudo alcançado por meio de excelente colaboração com a Boeing e o uso de engenharia digital e fabricação avançada. Tem sido extremamente gratificante ser o pioneiro neste cronograma de desenvolvimento acelerado e entregar a precisão, visibilidade e comunicação resultantes na produção”, disse Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe da área de negócios da Saab.

Após a chegada em Sts Louis, a seção traseira será emendada à fuselagem dianteira, antes da instalação das asas, aletas e montagem da cauda para se tornar uma fuselagem de teste estático completo. Esta fuselagem será usada para testes estruturais no solo durante a fase EMD do programa.

O Boeing-Saab T-7A Red Hawk é novo jato de treinamento avançado da Força Aérea Americana. A aeronave vai substituir os antigos T-38 Talon, em serviço desde o início da década de 1960.

Usando o novo conceito de engenharia digital, o jato foi do projeto inicial ao primeiro voo em dezembro de 2016 em apenas 36 meses. Por isso o Red Hawk se tornou o primeiro avião da chamada e-Series, que engloba trabalhos projetados utilizando o novo conceito.

Jatos de treinamento Boeing-Saab T-7A Red Hawk. Foto: Boeing.