Caças JAS-39E do Brasil e Suécia. Foto: Linus Svensson - Saab.

A fabricante sueca Saab realizará a entrega de seis caças JAS-39E Gripen neste ano, sendo quatro unidades para a Força Aérea Brasileira e duas para a Administração de Material de Defesa da Suécia, disse Jonas Hjelm, chefe da área de negócios aeronáuticos da Saab, durante o Seminário Anual do Gripen, realizado no dia 08/06. 

As aeronaves entregues em 2021 serão as primeiras operacionais, que no Brasil serão empregas inicialmente com o 1º Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), o Esquadrão Jaguar, unidade com sede na Ala 2, em Anápolis (GO) e que atualmente opera os caças F-5EM Tiger II.

Em setembro de 2020 o primeiro Gripen brasileiro chegou ao Brasil, transportado da Suécia em um navio até o Porto de Navegantes (SC). De lá, a aeronave foi transportada até o aeroporto local, de onde decolou para a sede da Embraer em Gavião Peixoto (SP). O caça, matrícula FAB 4100 e designado F-39E pela FAB, está sendo usado na campanha de testes de certificações do modelo pelo Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC). 

F-39E Gripen em sua primeira decolagem no Brasil. Foto: Sgt. Bianca/FAB.

“Estamos seguindo os prazos que estabelecemos em conjunto com nossos clientes”, diz Hjelm, acrescentando que isso demonstra que “temos um produto maduro e desenvolvido”. O executivo também disse que a fabricante está no processo de obter a certificação de tipo militar para o modelo E. “Este é um ponto muito importante para entregarmos o sistema completo de armas”, acrescenta.

Respondendo a questionamentos sobre  uma maior aquisição de Gripens pela FAB, Hjelm observa que o país há muito declarou sua intenção de adquirir mais do que seu primeiro lote de 36 unidades. Ele diz que não houve nenhuma “comunicação oficial ou qualquer negociação de quando isso pode acontecer”.

“Precisamos cumprir nosso primeiro contrato, que a Força Aérea Brasileira fique com aeronaves operacionais, então é mais provável que iniciemos as discussões sobre o segundo lote , ou mais aeronaves no futuro.” Em recente entrevista ao Valor Econômico, o Tenente-Brigadeiro Carlos Baptista Jr., Comandante da Força Aérea, disse que a instituição planeja ter até 70 unidades da aeronave. Na mesma entrevista, o Oficial-General também confirmou a entrega das quatro aeronaves. 

JAS-39E Gripen. Foto: Jamie Hunter/Saab.

Hjelm também detalhou a proposta da Saab de atender à exigência da Força Aérea Colombiana de 15 novos caças. A empresa está oferecendo o Gripen E/F, “combinado com um amplo pacote de transferência de tecnologia”, diz ele.

“Será uma ampla participação e colaboração industrial, e tanto a Saab Brasil quanto nossas empresas parceiras Embraer e AEL serão parte vital”, afirma. Bogotá está procurando um novo modelo para substituir seus jatos de ataque Cessna A-37 e seus caças IAI Kfir. 

No início deste ano a Saab chegou ao 10.000º voo de teste na história de seu Programa Gripen. O piloto de testes Jussi Halmetoja disse que o trabalho recente no modelo E incluiu o início de uma segunda campanha de tiro com o míssil ar-ar de curto alcance Diehl Defense IRIS-T. “Esperamos fazer o primeiro disparo de Meteor [MBDA] nos próximos meses, esperançosamente”, acrescenta. 

Gripen E com mísseis Meteor e IRIS-T e bombas GBU-39 SDB. Foto: Saab/Divulgação.

A Saab também aguarda o resultado da competição HX da Finlândia ainda este ano e também respondeu a questões relacionadas às aquisições de caças no Canadá e na Índia – para 88 e mais de 100 aeronaves, respectivamente.

A fabricante também está em “comunicação constante” com as Filipinas sobre os planos de aquisição de Manila, mas “não há negociações”. Falando sobre a recente aquisição de caças Dassault Rafale pela Força Aérea da Croácia, Hjelm diz que “É difícil competir com aeronaves usadas”.

Separadamente, a Saab está explorando opções de para futuras atualizações dos Gripens C/D operados pela Suécia e clientes internacionais na República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia. “Estamos discutindo como vamos atualizar a aeronave para permanecer relevante ao longo do tempo”, disse Hjelm, observando que ele espera que a Força Aérea sueca continue operando alguns de seus exemplos atuais “muito depois de 2030”.

Elephant Walk com caças JAS-39C/D da Força Aérea Real da Tailândia. Foto: RTAF/Divulgação.

A Saab continua a vender Gripens C/D novos para clientes em potencial, oferecendo entregas dentro de um período potencial de 18 a 24 meses. Hjelm diz que a empresa ainda não identificou uma data para interromper a promoção da nova produção do modelo em serviço. “Obviamente tudo que é bom tem um fim, mas ainda não chegamos”, observa