O Anuário do Transporte Aéreo, divulgado nesta terça-feira (20/8) pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), traz dados que mostram crescimento do mercado brasileiro referente ao número de decolagens em 2018, após cinco anos seguidos de queda.

No ano passado, foram realizados 967 mil voos regulares e não regulares no mercado doméstico e internacional, alta de 2,8% em relação aos números apurados de janeiro a dezembro de 2017. 

Dentro do país, a alta no número de decolagens foi de 1,3%, quando foram registrados aproximadamente 816 mil voos. As operações para os destinos internacionais tiveram crescimento de 12% no ano passado, totalizando 151 mil decolagens.

A quantidade de passageiros pagos transportados por empresas brasileiras em voos domésticos e internacionais foi outro indicador com crescimento em 2018. No acumulado do ano, mais de 93 milhões de passageiros foram transportados no modal aéreo doméstico, representando alta de 3,3% em relação ao mesmo período de 2017. Vinte e quatro milhões de passageiros foram transportados em destinos internacionais, que representou crescimento de 9,6% no ano passado em comparação com o anterior.

O modal aéreo continuou sendo o principal meio de transporte utilizado pelo brasileiro em viagens interestaduais. Na comparação com o transporte terrestre, a fatia de passageiros que utilizaram o avião manteve-se praticamente estável, passando de 67,5% em 2007 para 67,3% ano passado. De janeiro a dezembro de 2018, 86 milhões de passageiros viajaram pelo transporte aéreo enquanto 42 milhões (32,5% do total) optaram pelo rodoviário. 

 

Participação de voos por aeroporto

No mercado doméstico, os terminais com maior movimentação de voos em 2018 foram os de Guarulhos (12,2% do total do país), Congonhas (10,8%), Brasília (8%), Confins (5,8%) e Campinas (5,8%). Todos os aeroportos citados apresentaram crescimento no número de decolagens, com exceção do Aeroporto de Campinas, que teve redução de 2,7%. Entre os 20 principais terminais do país, o de Guarulhos foi o que apresentou a maior alta no indicador, com 11,5%.

Quando o assunto é a distribuição de passageiros pagos transportados no mercado doméstico, a região Sudeste processou o maior número em 2018, com mais de 46 milhões de passageiros, ou 49,3% do total, seguida pela Região Nordeste, com 17 milhões (18,8%), e pelo Centro-Oeste (13,5%), com 12,6 milhões. Os aeroportos da Região Norte foram os que menos processaram passageiros no ano passado, com um pouco mais de 5 milhões do total (5,4%).

Essas e outras informações também estão disponíveis no Painel de Indicadores do Transporte Aéreo, que reúne de forma ilustrativa os principais indicadores do setor. Clique no link para acessar.

 

Via – ANAC