Sinais de melhora: Empresas chinesas apresentam lucro a medida que a demanda cresce

Foto - Divulgação

Três grandes companhias aéreas chinesas estão retomando aos poucos suas frotas e malhas, de pouco em pouco as viagens crescem e fazem com que as empresas retomem seu volume de caixa para manter em dia suas operações.

Como a pandemia de coronavírus atingiu primeiro a China, e causou antes os efeitos financeiros por lá, agora podemos avaliar livremente o desempenho de aéreas que já estão se recuperando forte.

Isso pode indicar como será a recuperação do mercado de avião em outros países. Então vamos conferir abaixo um pouco mais sobre o desempenho das aéreas chinesas.

 

CHINA SOUTHERN

A capacidade de passageiros da China Southern em junho de 2020 caiu cerca de 20,15% nas rotas domésticas, 93,75% nas rotas regionais e 93,75% nas rotas internacionais em comparação a mesmo período em 2019, a capacidade geral caiu 43,92%.

Enquanto isso, o tráfego de passageiros caiu 33,48% no mercado interno, 98,38% regionalmente e 95,20% internacionalmente, o que corresponde a uma queda de 53,34% no total de passageiros em comparação a junho de 2019.

A China Southern transportou um total de 7.138.620 passageiros, com mais de 7.081 milhões de passageiros voando dentro da China.

Embora tenha aumentado em 21,59% em relação aos dados de maio de 2020, houve uma queda de 41,21% em relação a junho de 2019. O fator de carga da companhia aérea aumentou 2,16% de maio de 2020 para 68,96%.


A China Southern é a maior companhia do país, com mais de 500 aviões na sua frota.

 

AIR CHINA

A capacidade de passageiros da Air China em junho de 2020 caiu 57,9% no total, incluindo 28,4% no mercado doméstico, 95,8% internacionalmente e 97,1% regionalmente em comparação a junho de 2019. No entanto, no geral, a capacidade aumentou 11,1% em relação a maio de 2020.

A Air China transportou menos passageiros que a China Southern, com um total de 4.457.000 passageiros. Mais de 4,4 milhões desses passageiros estavam a bordo de rotas domésticas – enquanto pouco menos de 36.000 eram passageiros internacionais. Esse foi um aumento geral de 9,5% em números a partir de maio de 2020, mas 51,5% abaixo de junho de 2019.

No entanto, apesar do aumento de passageiros, a Air China sofreu uma ligeira diminuição no fator de carga. A companhia aérea alcançou um fator de carga geral de 67,1%, cerca de 0,4% abaixo de maio de 2019. O fator de carga doméstico diminuiu 1,1%, enquanto o fator de carga regional caiu 1,4%. 

No entanto, a taxa de ocupação internacional aumentou 15,3%. Essencialmente, a empresa adicionou um pouco mais de capacidade do que a demanda aumentou.

Como a China Southern, a Air China também divulgou um aviso de lucro semelhante, destacando a pandemia global do Covid-19. A companhia aérea destacou a otimização da capacidade de carga, entre outras reações nos resultados para conseguir obter lucro na operação.

 

CHINA EASTERN

A China Eastern destacou uma redução de 52,05% na capacidade de passageiros em relação ao ano anterior, com uma redução de 26,63% na capacidade doméstica, 95,76% em rotas internacionais e 95,83% em rotas regionais.

A companhia aérea transportou 5.205.500 passageiros, uma queda de 51,46% em relação ao mesmo período do ano passado. Mais de 5,1 milhões eram domésticos. O fator de carga foi de 66,44% no total, comparado a 82,78% em junho de 2019.

A China Eastern também observou que há uma grande incerteza devido à pandemia do Covid-19 nos negócios da empresa na China e no exterior. A companhia aérea apontou que o impacto da pandemia em suas operações ainda está sendo avaliado e a companhia aérea está otimista sobre sua resposta à atual crise.

 

DEIXE UMA RESPOSTA