SNA pede atuação da Anvisa contra risco de contágio por Covid-19 no serviço de bordo

Diante da recente retomada do serviço de bordo em voos internacionais, em sua totalidade, pelas empresas aéreas Latam Airlines Brasil e Azul Linhas Aéreas, o SNA enviou ofício à Anvisa em que pede a atuação da agência reguladora para mitigar os riscos de transmissão de covid-19 a que os tripulantes e passageiros estão submetidos.

Além disso, o SNA alerta a Anvisa sobre o procedimento de desembarque de passageiros, em todos os operadores de linhas aéreas, sejam voos nacionais ou internacionais, já que um comissário precisa ficar no meio da aeronave acompanhando todo o desembarque de passageiros, o que poderia ser feito por simples orientação feita por interfone, respeitando o distanciamento social.

No documento, o sindicato também relembra que as empresas não mais destinam um sanitário para uso exclusivo dos tripulantes como era a alguns meses atrás, o que aumento o risco de contágio.

Uma resolução da Anvisa já previu a suspensão do serviço de bordo, mas  apenas em voos domésticos —no caso de voos internacionais, deveriam existir regras mais detalhadas, restringindo o serviço de bordo a apenas bebidas e alimentos em embalagens individuais e, preferencialmente, industrializados, de fácil e rápido consumo, diminuindo, assim, o tempo de não utilização das máscaras pelos passageiros e risco de disseminação do vírus.

O SNA ressalta ainda que vivemos um novo pico de casos de covid-19 no Brasil desde o início de dezembro de 2020, sendo necessárias, portanto, as medidas cabíveis, entre elas fiscalizações nas aeronaves da Latam Airlines e da Azul empregadas em voos internacionais, fiscalização do serviço de bordo e dos procedimentos de embarque e desembarque de passageiros em todas as operadoras, bem como a apuração dos riscos envolvidos de contágio dos tripulantes e a edição de normas e recomendações.

Íntegra do ofício enviado pelo SNA à Anvisa: https://tinyurl.com/y2bx2bse.

DEIXE UMA RESPOSTA