Solojet Hawker 400
Foto: Divulgação

A Solojet Aviação promoveu ontem (08/12), no Aeroporto de Jundiaí, o lançamento oficial do programa de compartilhamento de aeronaves, o Solojet Shares.

Na oportunidade, a empresa apresentou também a segunda aeronave compartilhada, mais um Hawker 400, totalmente remodelado. Nos próximos dias chegará a terceira aeronave para o programa. 

Com cerca de 150 convidados, André Bernstein, diretor da Solojet Aviação, apresentou os diferenciais do programa de compartilhamento e suas vantagens.

“Somos a primeira empresa brasileira a criar um programa de compartilhamento com aeronaves a um custo realmente acessível ao mercado nacional, e que de fato vai democratizar a Aviação Executiva”, disse Bernstein. 

Segundo o executivo, além do custo acessível, o Hawker 400 foi escolhido “porque conhecemos a fundo sua performance, manutenção e oferecemos todo o suporte necessário aos compradores aqui mesmo em nossa oficina.”

Bernstein destacou que “contar com a estrutura completa e pronta para fazer as aeronaves voarem é, sem dúvida, um dos diferenciais do Solojet Shares”.

Foto: Solojet/Divulgação

A aeronave exibida ontem para os convidados passou inclusive por um retrofit completo de interior, um trabalho artesanal, desenvolvido com a equipe da Solojet Shares

O empresário Álvaro Garnero, que também é apresentador de televisão e  acabou de comprar uma cota de Hawker 400 da Solojet, também participou do evento. “Eu posso dizer que quando conheci o Solojet Shares me apaixonei pelo conceito e pelo custo-benefício. Buscava uma solução em transporte aéreo que fosse viável para mim e para toda a minha equipe. Gostei tanto que me tornei cliente e Embaixador da marca”, disse Garnero. 

Estiveram presentes no evento diversos empresários e diretores de empresas dispostos a ingressar no programa de propriedade compartilhada, além dos proprietários de aeronaves.

Raul Marinho, da ABAG (Associação Brasileira de Aviação Geral), disse que a regulamentação, finalmente publicada pela ANAC para o compartilhamento de aeronaves no Brasil, era um pleito antigo do setor. Com a mudança, o compartilhamento deve crescer especialmente por ser uma ótima opção para os clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA