Aeroporto de Lisboa TAP
Via - ANA Aeroportos/Divulgação

Se encerra hoje (28), o prazo para companhias aéreas formalizarem o interesse em 18 slots (horários de pousos e decolagens) da TAP no Aeroporto Internacional de Lisboa, um dos hubs da empresa.

Os slots ficaram disponíveis para outras companhias aéreas porque a estatal TAP entrou em acordo com a União Europeia diante dos aportes financeiros para ajudar a empresa. 

A EasyJet reforçou o seu interesse nos slots no Aeroporto de Lisboa Humberto Delgado e reiterou que irá basear mais aeronaves no Aeroporto além de contratar mais 100 funcionários caso seja a vencedora do leilão.

A Ryanair mostrou seu interesse público nos slots, tendo inclusive assinado uma carta para autoridades para consegui utilizar os slots ainda neste final do mês de março beirando o início de abril, porém a medida não surtiu efeito e a empresa terá de esperar o leilão.

Para ter seu plano de reestruturação aprovado com aporte financeiro, a TAP precisou abrir mão de 18 slots em Lisboa, sendo nove para decolagens e nove para pousos. 

A diretoria da TAP buscou reverter a decisão mas foi sem sucesso, e com isso a empresa estatal portuguesa terá 50% de ocupação das operações em Lisboa. A decisão foi tomada em dezembro do ano passado, sendo nomeada também a empresa alemã Alcis Advirsers para analisar se a decisão será cumprida. 

Em seu processo de reestruturação a TAP concordou em se desfazer de diversas empresas do grupo, incluindo a sua subsidiária Portugalia, sua empresa de handling (Groundforce) e  empresa de manutenção no Brasil TAP M&E (antiga Varig Engenharia e Manutenção). A companhia também concordou em devolver 5% dos seus slots, como citamos anteriormente.

O processo de reestruturação da companhia portuguesa foi iniciado em 2020, poucos meses após iniciar a pandemia, quando a empresa deixou de operar diversos voos em razão das restrições além dos problemas financeiros recorrentes dos últimos anos.

 

Com informações do Portal ECO.