Foto - Embraer

A companhia aérea Somon Air, do Tajiquistão, assinou um memorando de entendimento para dois aviões Embraer E190-E2,

A companhia aérea possui uma frota de dois aviões 737-900ER e dois -800, além de um par de aeronaves -300. Os novos E2 devem substituir o 737-300.

A Somon Air diz que assinará um acordo no início do próximo ano sobre a entrega das duas aeronaves da Embraer. A companhia aérea não identificou as rotas nas quais utilizará os E2.

O E190-E2 é o primeiro de três novos E-Jets E2s que a Embraer está desenvolvendo para suceder seus E-Jets da primeira geração. Comparado com a primeira geração do E190, o E190-E2 oferece uma redução de 17,3% em termos de consumo de combustível e quase 10% menos que o concorrente direto (aqui a Embraer oculta que o concorrente é o A220-100, agora fabricado pela Airbus). Isso a torna a aeronave mais eficiente de corredor único no mercado.

O E190-E2 traz mais flexibilidade com alcance máximo de até 5300 km, ou cerca de 1000 km a mais do que o E190 de primeira geração.

O E190-E2 também oferece economias significativas para as companhias aéreas em termos de custos de manutenção, com uma redução de até 25%. A aeronave possui os maiores intervalos de manutenção, com 10.000 horas de voo para verificações básicas e sem limite de calendário na utilização típica de E-Jets. Isso significa 15 dias adicionais de utilização de aeronaves em um período de dez anos.

Os pilotos da primeira geração de E-Jets precisam de apenas 2,5 dias de treinamento e sem a necessidade de um simulador de voo completo para pilotar o E2, o que diminui a carga de treinamento e economiza tempo e dinheiro para as companhias aéreas.