De acordo com informações publicadas nos últimos dias pelo jornal “City Press”, um noticiário local da África do Sul, a companhia aérea South African Airways (SAA) provavelmente não vai revelar seu relatório anual por uma questão bem complicada, a companhia está perto de uma falência técnica.

Isso está acontecendo pois a companhia conseguiu acumular, ao longo dos anos, uma dívida de US$ 1,96 bilhão, resultado também causado por vários períodos operando no vermelho e eventos de corrupção sem limites dentro da companhia.

O patrimônio da própria companhia, avaliado em US$ 910 milhões, é insuficiente para pagar essas dívidas em caso de falência da mesma, e se o montante acumular ao longo dos próximos meses os investidores estarão em um sério risco.

Enquanto isso a companhia continua queimando mensalmente até US$ 31,6 milhões, um prejuízo bastante elevado quando consideramos um período de 12 meses.

Mesmo com a ajuda do governo a companhia aérea espera ajeitar essa situação, e evitar o encerramento das operações, através da venda de divisões da empresa, como a parte que cuida do catering e as operações de carga. Uma das soluções é também diminuir o número de voos, além de retirar aeronaves da sua frota. Demissões são esperadas, visto que alguns serviços podem ser terceirizados.