Foto: South African Airways

A South African Airways (SAA) está correndo o risco de ter suas operações pausadas, isso porque o valor de R$ 2 bilhões de dólares prometidos pelo Tesouro para financiar o processo de resgate de negócios não se concretizou.

Sem que o empréstimo seja realizado, a companhia africana poderá ser forçada a suspender seus voos, caso não se regularize a situação até o dia 19 de Janeiro. Se isso ocorrer a companhia poderia entrar em liquidação, o que levaria a venda de seus ativos para pagar os credores.

Segundo o que o ministro das Finanças, Tito Mboweni, disse em uma reunião em Joanesburgo nesta quinta-feira o Tesouro Nacional da África do Sul está tentando encontrar financiamento adicional para a companhia aérea estatal antes do prazo do dia 19.

“O Tesouro Nacional forneceu apoio financeiro da melhor maneira possível”, disse Mboweni.

“Dados os sérios desafios financeiros e operacionais que a África do Sul enfrenta, o Departamento de Empresas Públicas, juntamente com o Tesouro Nacional, está trabalhando em estreita colaboração com a gerência da South African Airways e o profissional de resgate de empresas chegou a um ponto em que fica claro que certas decisões precisa ser tomado sobre o que fazer”, conclui o ministro.

A SAA já havia paralisado algumas aeronaves em solo, como por exemplo os novos Airbus A350, o que já afetaria algumas operações da companhia sul-africana. A empresa também tenta vender seus aviões Airbus A340, mesmo resultando em uma diminuição da oferta.

 

Fonte: Businesstech


 

DEIXE UMA RESPOSTA