Foto - NASA

Naves espaciais reutilizadas não são uma nova espécie de aparelhos em nosso planeta, o auge disso ocorreu durante o período que a NASA operou o Space Shuttle para realizar suas missões espaciais, entre a década de 80 e a qual vivemos atualmente, mas infelizmente em 2011 o último voo do Ônibus Espacial foi realizado, e hoje o mesmo é somente peça de museu (belíssima pelo visto).

Elon Musk já foi o cara por propor e usar um foguete reutilizável, o primeiro estágio do Falcon 9 pousa atualmente em “qualquer lugar”, em uma balsa marítima ou na plataforma terrestre, tudo isso automaticamente com vistoria de centenas de engenheiros da SpaceX em tempo real. O foguete Falcon 9 é incrível, mas ainda neste ano veremos 3 estágios do mesmo pousando juntos, porém estes pertencerão à Falcon Heavy, o foguete de gente grande da SpaceX.

Pois bem, neste sábado, às 17h07 (horário da Flórida), o foguete Falcon 9 foi lançado do mesmo local onde por anos o Space Shuttle foi ao espaço pela NASA, e também pela mesma plataforma onde ocorreu o histórico lançamento da Apollo 11 (That’s one small step for a man, one giant leap for mankind). E o melhor, esse foi o 100º lançamento realizado na plataforma Complex 39A, que fica no Centro Espacial John F. Kennedy que fica na região de Cabo Canaveral.

Continua depois do anúncio
Cápsula Dragon após reentrar na atmosfera terrestre. Foto – SpaceX

No Falcon 9 estava uma cápsula Dragon Cargo reutilizado, ou seja, uma cápsula que já foi para o espaço, reentrou na atmosfera e agora foi reutilizada pela SpaceX para realizar outra viagem até a Internacional Space Station (ISS), a primeira missão dessa cápsula foi em setembro de 2014. Ela levou cerca de 2700 kg de carga para a ISS, com suprimentos para astronautas e também para os experimentos realizados por lá.

*A parte engraçada é que dentro da Dragon que subiu neste sábado há 20 ratos, 400 moscas e 2000 ovos, para estudos no espaço. 

Cerca de 10 minutos após o lançamento, o Falcon 9 separou-se da sua cápsula de carga, e virou rotina… Os engenheiros da SpaceX pousaram o primeiro estágio do Falcon 9 novamente em uma plataforma terrestre.

Continua depois do anúncio

A Dragon ficará na ISS por cerca de um mês, antes de retornar à Terra, a reentrada da cápsula setá no Oceano Pacífico. Nesta segunda-feira o braço robótico da Estação Espacial deverá se conectar à Dragon e acoplar a cápsula na estação.

 

Próximas missões

As próximas missões da SpaceX são:

Continua depois do anúncio
  • Dia 15 de junho, levando o satélite BulgariaSat 1;
  • Dia 25 de junho levando 10 satélites Iridium Next (veja mais clicando aqui);
  • Dia 1º de julho levando o Intelsat 35e;

Há mais 3 missões em julho para levar os satélites SES 11/EchoStar 105, Koreasat 5A e Formosat 5. Em agosto a SpaceX já marcou 2 missões, uma para levar suprimentos para a ISS e outra para enviar mais 10 satélites Iridium Next.

Finalmente em setembro de 2017 está marcado para ser o primeiro voo do Falcon Heavy, em data ainda não divulgada pela SpaceX.

 

Porque reutilizar?

Continua depois do anúncio
Foto – SpaceX/Reprodução

O combustível é o menor dos custos no lançamento de um foguete, apesar do mesmo demandar uma quantidade grande oxigênio líquido e querosene (no caso do Falcon 9). Mas as estruturas do foguete e a tecnologia usada compõem boa parte do custo de fabricação de um, por isso é importante reutilizar.

A SpaceX só conseguiria diminuir os custos de lançamento se conseguisse reaproveitar as estruturas de um foguete, e ela conseguiu, atualmente a SpaceX já usa estágios do Falcon 9 reaproveitados, e agora aproveita também as cápsulas de lançamento, isso significa que quase 80% de um foguete Falcon 9 retorna para a Terra, após o seu lançamento.

Com as cápsulas Dragon 2, que tem retrojets, a SpaceX conseguirá fazer um pouso suave em Terra firme, diminuindo o número de estruturas necessárias na cápsula e evitando que a mesma entre em contato com a água salgada do mar, veja mais sobre isso abaixo.

Continua depois do anúncio

 

Vídeo: Transmissão ao vivo do lançamento (veja a partir de 29:00)

Vídeo: Teste da Cápsula Dragon V2